“Não antevejo que antes de 2035 ou 2040 possamos ter” um novo aeroporto, diz chairman da ANA

José Luís Arnaut lamenta a demora na decisão quanto ao futuro do novo aeroporto, afirmando que este é "urgente" e "necessário".

O chairman da ANA – Aeroportos de Portugal lamenta a demora e todos os entraves que têm existido na decisão quanto à localização do novo aeroporto da cidade, na zona da capital. José Luís Arnaut acredita mesmo que a nova estrutura aeroportuária não deverá ficar concluída antes de 2035 ou 2040, uma vez que duvida que o estudo estratégico ambiental fique pronto no final de 2023.

“É evidente que a nova estrutura aeroportuária é necessária e torna-se urgente”, começou por dizer o presidente do Conselho de Administração da ANA esta segunda-feira, durante a conferência “Retomar o Crescimento”, organizada pela Confederação do Turismo de Portugal (CTP).

José Luís Arnaut notou que o aeroporto da Portela “tem restrições de capacidade em terra e no ar” e que a Vinci “quer investir”, mas tem enfrentado muitos obstáculos. “Queremos investir e temos um conjunto de vicissitudes externas que não nos permitem avançar”, disse.

Em junho do ano passado, várias organizações ambientais avançaram com uma providência cautelar para tentar anular a decisão favorável da Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) feita pelo Governo para a instalação do novo aeroporto no Montijo. Essa providência foi chumbada em setembro deste ano pelo tribunal, mas este criticou a localização escolhida pelo Executivo.

Entretanto, em setembro deste ano, a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) decidiu não fazer uma apreciação prévia de viabilidade para efeitos de construção do aeroporto no Montijo — solicitada pela ANA –, uma vez que não existia parecer favorável de todos os concelhos afetados.

Face a estes acontecimentos, o Governo decidiu fazer uma avaliação ambiental estratégica, que servirá de apoio à decisão final. Mas, sobre esse estudo, o chairman da ANA diz que o caderno de encargos “ainda nem começou”. “Não vejo como isso vai ser cumprido até ao final de 2023”, disse.

Assim, José Luís Arnaut afirmou: “Não antevejo que antes de 2035 ou 2040 possamos ter uma infraestrutura aeroportuária”, sendo que no primeiro caso se refere à escolha do Montijo para instalar o novo aeroporto e no segundo caso à construção de um aeroporto de raiz. “É preciso que haja esse estudo, que os partidos se entendam e que nos deixem construir. A TAP e o país precisam deste aeroporto”, disse.

(Notícia atualizada às 18h48 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Não antevejo que antes de 2035 ou 2040 possamos ter” um novo aeroporto, diz chairman da ANA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião