Portugal recompra 268 milhões de dívida em dólares

IGCP recomprou antecipadamente 268 milhões de dólares em dívida emitida em 2014 e que só vencia em 2024.

Portugal foi esta quarta-feira aos mercados recomprar antecipadamente 268 milhões de dólares em dívida emitida na moeda americana e que tinha maturidade em 2024.

Com esta operação, o IGCP, liderado por Cristina Casalinho, baixou o saldo vivo desta emissão em dólares feita em 2014 para cerca de 3,1 mil milhões de dólares, isto já depois de ter realizado uma operação semelhante em julho e através da qual antecipou reembolsos de 1,12 mil milhões de dólares.

Estas Obrigações do Tesouro foram emitidas em julho de 2014 e vencem apenas daqui a três anos. Por estes títulos, o país paga um cupão de 5,125%.

O IGCP tem seguido uma estratégia de alisamento do perfil de amortizações de dívida pública nos próximos anos, através de operações de troca de dívida e também de recompra de dívida antecipada em dólares.

Com isto, Cristina Casalinho alivia as necessidades de reembolsos a fazer aos mercados nos próximos anos, procurando obter poupanças com estas operações tendo em conta o ambiente de juros baixos promovido pelo Banco Central Europeu (BCE).

De acordo com o boletim mensal do IGCP de setembro, Portugal enfrenta reembolsos de 9,1 mil milhões de euros em 2022, montantes que sobem para 11,4 mil milhões e 11,9 mil milhões em 2023 e 2024.

(Notícia atualizada às 15h23 com mais informações)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal recompra 268 milhões de dívida em dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião