5 coisas que vão marcar o dia

O Governo vai discutir, em Conselho de Ministros, algumas das "bandeiras" dos parceiros de esquerda. No plano económico, o Banco de Portugal vai medir o pulso à economia.

Numa altura em que se acentuam os receios relativos a um eventual chumbo do Orçamento do Estado para o próximo ano, o Governo vai discutir, em Conselho de Ministros, algumas das “bandeiras” dos parceiros de esquerda. No plano económico, o Banco de Portugal vai medir o pulso à economia. A marcar o dia estará ainda o Conselho Europeu, sendo que os preços da energia estarão em foco.

Conselho de Ministros discute trabalho digno

O Governo reúne em Conselho de Ministros para tentar desatar alguns nós na proposta de Orçamento do Estado para 2022. O primeiro-ministro, António Costa, já confirmou dois dos temas que vão estar em cima da mesa na reunião: a Agenda do Trabalho Digno — incluindo a possibilidade de mexer na caducidade da contratação coletiva — e o novo estatuto do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

BdP mede endividamento da economia

O Banco de Portugal atualiza a informação sobre o endividamento do setor não financeiro com dados referentes a agosto. No mês anterior, a dívida encolheu 1,2 mil milhões de euros face a junho, tendo-se fixado em 761,3 mil milhões. O endividamento do setor público caiu 3,2 mil milhões (para 347,3 mil milhões), mas o endividamento do setor privado aumentou em 2 mil milhões de euros (para 414 mil milhões).

Conselho Europeu discute preços da energia

Hoje é o primeiro de dois dias de Conselho Europeu, no qual os chefes de Estado e de governo dos países da União Europeia discutirão a pandemia de Covid-19, a transformação digital, os preços elevados da energia, as migrações e as relações externas. Com os custos da energia a dispararem em toda a região, incluindo no mercado ibérico, os responsáveis deverão discutir medidas de âmbito nacional e europeu para combater os aumentos de preços, que podem travar a recuperação económica. Uma delas pode ser a compra conjunta de gás natural.

Combustíveis suscitam protestos

Os preços elevados dos combustíveis em concreto prometem continuar a marcar a agenda mediática e política. Muitos portugueses estão descontentes com o que pagam para atestar o depósito. Por isso, para esta quinta-feira, estão previstas iniciativas de protesto, incluindo um buzinão pelas 8h00 na ponte 25 de abril (Lisboa). No Facebook, um grupo com mais de meio milhão de membros apela também a um boicote às bombas. Na quarta-feira, o primeiro-ministro prometeu uma solução “transitória” para travar a escalada de preços ainda esta semana.

Como evolui a economia portuguesa?

O Banco de Portugal publica também os dados do indicador diário de atividade económica (DEI) até ao último domingo. Depois de ter acelerado em setembro, a atividade económica em Portugal abrandou no arranque de outubro, mostraram os dados mais recentes. O DEI é um indicador económico de alta frequência, desenhado pelo banco central para medir o estado da economia de semana para semana (o principal indicador, o PIB, só é atualizado a cada trimestre).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião