Ganhos de mais de 1% do setor energético impulsionam PSI-20

Lisboa terminou a sessão em terreno positivo, em linha com a generalidade das praças europeias. A puxar pelo desempenho do PSI-20 estiveram as cotadas do setor energético e da pasta e do papel.

A bolsa de Lisboa terminou a última sessão da semana com o “pé direto”, em linha com a generalidade das congéneres europeias. A puxar pelo desempenho do índice de referência nacional estiveram os ganhos de mais de 1% do setor energético e das papeleiras. Em contraciclo, os CTT travaram ganhos mais expressivos.

Pela Europa, o Stoxx 600 avançou 0,55%, enquanto o alemão DAX ganhou 0,53%, o o francês CAC-40 somou 0,81% e o britânico FTSE 100 subiu 0,34%. Em contrapartida, o espanhol IBEX-35 recuou 0,28%.

Lisboa acompanhou os ganhos da generalidade das praças europeias, com o PSI-20 a avançar 0,68% para 5.769,540 pontos. Das 19 cotadas, 13 terminam a sessão em terreno positivo, uma inalterada e cinco no “vermelho”.

A puxar pelo desempenho positivo do índice de referência nacional estiveram as cotadas ligadas ao setor energético e o BCP. No grupo EDP, a casa-mãe avançou 1,42%, para 4,9270 euros, enquanto a subsidiária EDP Renováveis ganhou 1,79%, para 23,84 euros. Ao mesmo tempo, a Greenvolt somou 1,95% para 6,8 euros, enquanto a REN valorizou 0,19% para 2,6650 euros.

Em contrapartida, a Galp Energia recuou 0,06% para 9,7960 euros, no dia em que o Governo anunciou novas medidas para travar o aumento dos preços dos combustíveis. Assim, a partir de novembro o Executivo vai devolver aos portugueses 10 cêntimos por litro de combustível, até um máximo de 50 litros por mês, através da plataforma IVAucher. A medida vai vigorar até março de 2022.

A petrolífera portuguesa está, deste modo, a contrariar a subida das cotações de petróleo nos mercados internacionais. O Brent soma 0,24%, para 84,80 dólares, enquanto o WTI valoriza 0,39%, para 82,82 dólares.

Nota positiva ainda para o setor da pasta e do papel e para o BCP. A Altri ganhou 2,65% para 5,6250 euros, a Navigator somou 1,47% para 3.1800 euros, ao passo que a Semapa valorizou 12,32 euros. Na banca, os títulos do banco liderado por Miguel Maya avançaram 0,96% para 15,72 cêntimos, o que ajudou a puxar pelo PSI-20.

Em contraciclo, e a travar ganhos mais expressivos do PSI-20 estiveram os CTT, cujos títulos cederam 0,59% para 5,02 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ganhos de mais de 1% do setor energético impulsionam PSI-20

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião