Entrevista a António Pedro Braga e Bruno Santiago. Edição de novembro/dezembro da Advocatus

Na Advocatus de novembro/dezembro pode ler a entrevista aos sócios da Morais Leitão, um especial sobre o recrutamento e sobre a faturação e rentabilidade das firmas.

António Pedro Braga e Bruno Santiago, sócios coordenadores do departamento fiscal da Morais Leitão, fazem uma reflexão sobre o Orçamento do Estado proposto para 2022.

Consideram que teria sido muito importante dar um outro sinal às empresas nacionais: “o de que no país que as viu nascer e onde produzem riqueza não as quer continuar a discriminar de forma evidente ao nível fiscal” que não aconteceu, defendem o fim da derrama estadual e sublinham que a morosidade dos tribunais fiscais é o calcanhar de Aquiles da justiça fiscal. Mas aplaudem o facto de o OE não ser usado como testamento de carreira do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais em funções ou como mera caixa de ressonância da Autoridade Tributária.

António Pedro Braga e Bruno Santiago, sócios da Morais LeitãoNuno Fox

A Advocatus contactou 15 dos mais relevantes escritórios no mercado nacional para responderem a questões sobre faturação e rentabilidade. Apenas a VdA, Miranda e a Abreu Advogados responderam às quatro questões lançadas. Bastonário avisa que vai fazer uma fiscalização mais efetiva do depósito das contas.

A tecnologia “invadiu” as sociedades de advogados na hora de recrutar. À Advocatus, as firmas explicaram como funcionam os atuais processos de recrutamento. Processos são mais personalizados e valorizam cada vez mais as soft skills.

Filipe Avides Moreira, partner da PLMJ, em entrevista ao ECO/Advocatus - 15OUT21
Filipe Avides Moreira, partner da PLMJ, em entrevista ao ECO/Advocatus – 15OUT21Hugo Amaral/ECO

Filipe Avides Moreira é o advogado do mês desta edição. O novo coordenador do escritório do Porto fala da saída dos quatro sócios em setembro, assume que a PLMJ investiu significativamente num processo de transformação que coloca o escritório “na vanguarda das sociedades de advogados portuguesas” e defende que está na altura de assumir que o tempo no escritório “é precioso”.

O sócio da Rödl & Partner, Filipe Lobo d‘Ávila, faz um balanço “muito positivo” dos três primeiros anos de atividade da firma em Portugal. Referiu que existem diferenças entre o mercado de advocacia alemão e o português e que entre elas está a multidisciplinaridade. Desde 2018 que as equipas e a faturação triplicaram. Descubra todos os pormenores na rubrica sociedade do mês.

Filipe Lobo d’Avila, sócio da Rödl & PartnerHugo Amaral/ECO

Situado na Avenida Fontes Pereira de Melo, a Cuatrecasas apresentou um novo escritório, com cerca de 10.000 m2 distribuídos por 10 andares e com capacidade para 400 profissionais. Para a managing partner, Maria João Ricou, as novas instalações conferem à sociedade “capacidade de crescimento”. A Advocatus foi conhecer o novo escritório.

Assine a revista Advocatus aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Entrevista a António Pedro Braga e Bruno Santiago. Edição de novembro/dezembro da Advocatus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião