DGS corta nas vacinas para o próximo ano e reduz custos em 2,5 milhões

  • ECO
  • 17 Novembro 2021

O Programa Nacional de Vacinação vai adquirir no próximo ano menos 640 mil doses de vacinas do que em 2021. Este corte representa uma poupança para os cofres do Estado de 2,5 milhões de euros.

O Programa Nacional de Vacinação (PNV), coordenado pela Direção-Geral da Saúde, vai ter no próxmo ano menos 640 mil doses de vacinas do que em 2021. Uma poupança que deverá rondar os 2,5 milhões de euros, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

Para 2022 estão previstas 1.852.634 doses, contra as 2,5 milhões de doses adquiridas este ano, que representaram um custo de mais de 73,8 milhões de euros (preços de 2019). A perspetiva é de que, no próximo ano, a compra centralizada de 1,8 milhões de doses ronde 71,3 milhões de euros.

Na previsão para a próximo ano, as maiores aquisições serão das vacinas para a meningite B (387.904 doses), que é administrada três vezes aos bebés até um ano de idade, para o vírus do papiloma humano (250.880), que é dada em duas doses às crianças aos dez anos, e a vacina Pn13 (244.397), contra a doença pneumocócica e que é aplicada três vezes aos bebés até um ano de idade.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

DGS corta nas vacinas para o próximo ano e reduz custos em 2,5 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião