Quer a sua empresa com emissões zero? Siga estes cinco passos

  • Capital Verde
  • 17 Novembro 2021

A McKinsey sugere cinco passos que podem ajudar os executivos a definir um plano eficaz de emissões zero para os próximos anos. Quem tiver o melhor plano vai distinguir-se dos outros e ganhar vantagem

Se algo ficou bem claro após a Cimeira Climática de Glasgow é que os compromissos ali lançados irão mudar por completo a forma de fazer negócios em todo o mundo, dizem os analistas da McKinsey, especializados em sustentabilidade.

“Durante a COP, os executivos disseram-nos que esperam uma aceleração da ação climática em toda a economia real: seja ao nível do sistema, em todos os setores e indústrias e mesmo dentro das organizações”, salientam os autores da análise Harry Bowcott, Daniel Pacthod, and Dickon Pinner.

Essas conversas, dizem, também mostraram que os compromissos da neutralidade carbónica já estão a ultrapassar a formação de cadeias de valor, mecanismos de mercado, modelos de financiamento e estruturas e soluções necessárias para suavizar o caminho de descarbonização.

Para as empresas, as metas climáticas criarão oportunidades para inovar e liderar ações coordenadas pela indústria, parceiros da cadeia de valor, investidores e políticos. Ao mesmo tempo, estas metas também apresentam riscos adicionais de preços mais altos das matérias-primas.

Com essas oportunidades e riscos em mente, a McKinsey sugere cinco passos fundamentais que podem ajudar os executivos a definir um plano eficaz de emissões zero para os próximos anos. Quem tiver o melhor plano vai distinguir-se dos outros e ganhar vantagem, dizem os autores.

“A base da competição mudou. Há agora uma avaliação premium para quem tiver um bom plano para a neutralidade carbónica, e que seja bem executado”, garantem, acrescentando: Há que deitar mãos à obra, não perder tempo e explicar o plano aos stakeholders e investidores.

Estes são os elementos que devem fazer parte de um bom plano de neutralidade climática, de acordo com a McKinsey Sustainability:

  • Metas de emissões para os âmbitos 1, 2 e 3 (os mais difíceis de cumprir). Estes devem incluir metas de longo prazo, bem como metas de curto prazo para 2025 e 2030, todas alinhadas com trajetórias de mitigação baseadas na ciência ou trajetórias setoriais específicas de autoridades confiáveis;
  • Uma visão estratégica dos riscos e oportunidades do clima para cada parte do portfólio da empresa, cobrindo tanto a dinâmica competitiva quanto as exposições ambientais;
  • Uma avaliação sobre o capital que será necessário para reduzir as emissões, especialmente face a ativos intensivos em emissões poluentes, juntamente com uma postura confiável sobre o uso de licenças de emissão e créditos de carbono de alta qualidade:
  • Um programa para monitorizar as condições externas, tomar decisões sobre como atualizar o plano emissões zero da empresa e implementá-lo;

“Os líderes corajosos ajudarão as empresas a navegar na transição. Terão de eliminar o ruído e criar uma Estrela do Norte para o futuro de sua empresa, apoiados por um plano detalhado para chegar lá. Concentrar-se nos cinco passos acima descritos pode ajudá-los a alcançar a clareza de pensamento necessária para um planeamento eficaz”, rematam Harry Bowcott, Daniel Pacthod, and Dickon Pinner

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quer a sua empresa com emissões zero? Siga estes cinco passos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião