Deixe o carro decidir por si e poluir menos: gasolina na estrada, 100% elétrico na cidade

  • Capital Verde
  • 30 Novembro 2021

Oeiras e Matosinhos são as duas novas BMW eDrive Zones, desde este mês. Juntam-se a Lisboa, Porto e Braga. Quando entram nestas cidades, o híbridos da marca passam a elétricos para cortar nas emissões

Imagine que tem um carro híbrido e que, automaticamente ao entrar numa determinada zona urbana de uma cidade europeia, o seu veículo decide sozinho entrar em modo 100% elétrico para poluir menos. Parece ficção científica mas já é uma realidade.

Em Portugal já há três cidades BMW eDrive Zone, desde julho de 2021, com esta tecnologia portuguesa implementada pela pela BMW: Braga, Lisboa e Porto, com mais duas a serem recentemente adicionadas, Oeiras e Matosinhos.

Em novembro a BMW somou mais 20 novas cidades à lista, duas delas portuguesas — Aberdeen, Bregenz, Brescia, Bristol, Cambridge, Cardiff, Copenhagen, Cork, Coventry, Florence, Klagenfurt, Lille, Matosinhos, Naples, Oeiras, Oxford, Sheffield, St. Pölten, Toulouse e Verona, o que significa que neste momento são 138 cidades da Europa onde este fenómeno acontece.

Basicamente, numa zona definida como BMW eDrive Zone, a digititalização e o poder das smart cities é usada para aumentar a percentagem de uso elétrico dos híbridos em contexto citadino, sobretudo em metrópoles com áreas zero emissões

Na prática, a partir de uma tecnologia de geo-referência via GPS, o veículo da marca é capaz de fazer uma mudança automática para 100% elétrico assim que entra na BMW eDrive Zone. A tecnologia é 100% made in Portugal e foi desenvolvida pela Critical Techworks.

Esta é uma das formas que a BMW encontrou de incentivar mais os proprietários de veículos híbridos a recorrerem mais ao motor elétrico, sobretudo nas cidades. A marca tem também feito um enorme investimento em inovação, nomeadamente, através da implementação e integração de aplicações compatíveis com 5G nos seus modelos, em colaboração com a HARMAN Samsung, pioneiras na oferta de um suporte ao Sistema Global de Navegação por Satélite (SNS) de alta precisão.

Através da tecnologia 5G, será possível estabelecer novos padrões em termos de mobilidade, eficiência, alcance e livre de emissões, uma visão do futuro antecipada com o BMW Concept i4.

Este mês, a marca BMW divulgou algum números do programa BMW eDrive Zone, entre os quais se destacam as 30 mil vezes por dia que um híbrido BMW passa a elétrico numa destas zonas. Mais: já hoje, acima de 75% de todas as viagens numa Zona eDrive são concluídas em modo elétrico. Destas, 40% dos condutores já entram na zona designada em modo elétrico ativado. E outros 35% faz a mudança usando a função eZone.

No último trimestre, os modelos híbridos plug-in da BMW andaram 3,3 milhões de quilómetros adicionais em modo elétrico dentro das zonas eDrive, o que é equivalente a mais de 80 viagens à volta do Equador com energia elétrica, em vez de usar o motor de combustão.

E como é que em Portugal os automóveis já comunicam com as cidades? Por cá, a comunicação já é feita através dos sistemas de assistência à condução, tais como: leitura de sinais de trânsito, incluindo aviso de circulação em contramão, adaptação às velocidades recomendadas automaticamente, deteção de peões e ciclistas, e leitura das faixas de rodagem.

Também já se encontra disponível o serviço BMW Connected Charging, que permite ao condutor visualizar o estado de carga da sua bateria e localizar os postos de carregamento mais próximos, bem como saber se estes estão disponíveis, através do visor de informações central ou da aplicação. A marca quer ter também o BMW Connected Parking, que ajuda a encontrar possíveis lugares de estacionamento e o BMW Connected Navigation, que adapta todos os sistemas do veículo de acordo com o mapa de navegação.

Quanto ao sistema BMW eDrive Zones já vem instalado em alguns modelos híbridos Plug-in da BMW para permitir que se comportem exatamente como veículos elétricos em áreas designadas para tal, “o que irá contribuir para reduzir ainda mais as emissões e eliminar constrangimentos de mobilidade”. Neste momento a BMW vende 17 modelos híbridos plug-in em 95 mercados do mundo.

As zonas de eDrive são destacadas no GPS do automóvel e, no caso de a bateria estar a terminar, a mudança do motor de combustão é indicada no painel do veículo. O BMW eDrive Zones já é uma realidade em países como Portugal, Alemanha, Áustria, Suíça, Holanda, Bélgica e França, com presença em cerca de 138 cidades, e a expectativa é a de que cada vez mais países adotem esta tecnologia de modo a potenciar a utilização de veículos eletrificados nos principais polos urbanos.

De visita a Portugal para apresentar a estratégia de sustentabilidade de futuro da marca, Kerstin Meerwaldt, responsável de Customer & Markets, Corporate Strategy Sustainability do BMW Group, frisou que todas estas medidas fazem parte da estratégia do grupo para “atingir a neutralidade climática até 2050”.

“O mais importante é que haja um compromisso com metas intercalares muito específicas para a redução substancial das emissões de CO2 – medidas pelo Science Based Targets Initiative. E teremos que cumprir o que prometemos”, concluiu.

Como se não bastasse, e para incentivar ainda mais o uso da parte elétrica dos veículos híbridos BMW, a marca criou a aplicação BMW Points, que funciona como um fator motivacional para a adoção de uma condução mais ecológica, atribuindo pontos aos condutores de acordo com a preferência por uma condução mais ecológica.

Os quilómetros conduzidos em modo elétrico são convertidos em pontos, que podem depois ser rebatidos em carregamento da bateria na rede de carregamento móvel Charge Now da BMW, por exemplo.

Disponível em Portugal deste novembro, a BMW Points permite um serviço de acumulação de pontos que podem ser usados para carregar o veículo em postos de carregamentos elétricos públicos.

A plataforma pretende promover a condução em modo elétrico dos veículos híbridos BMW, sendo mesmo reconhecida como uma das maiores plataformas de incentivo à mobilidade elétrica. As opções disponíveis para a acumulação de pontos são várias.

O condutor ganha:

  • 1 ponto por cada quilómetro percorrido em modo elétrico;
  • 2 pontos por cada quilómetro percorrido nas BMW eDriveZones, zonas de baixas emissões nas cidades;
  • 20 pontos, adicionalmente, por cada sessão de carregamento de 15 minutos ou mais;
  • 500 pontos extra ao efetuar mais de 20 sessões de carregamento por mês;

A conversão dos pontos em carregamentos tem de ser feita através da aplicação My BMW, que faz a ligação entre o veículo e a marca, e está disponível para os modelos híbridos Plug-In BMW 330e, BMW 745e, BMW X5 xDrive45e e BMW 530e.

“O BMW Points reforça a aposta da BMW na redução significativa das emissões de carbono, à semelhança das BMW eDriveZones. Estas tecnologias reforçam a estratégia do Grupo para uma mobilidade mais sustentável, com o objetivo de ter até 2023, 25 modelos eletrificados na frota”, referiu, em comunicado, Massimo Senatore, Diretor Geral da BMW Portugal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Deixe o carro decidir por si e poluir menos: gasolina na estrada, 100% elétrico na cidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião