Carvão dá lugar a hidrogénio verde. Projeto GreenH2Atlantic arranca em Sines com 30 milhões da UE

A construção da nova unidade de hidrogénio deverá arrancar em 2023 e a operação deverá começar em 2025. O eletrolisador de 100 MW ficará localizado na antiga central termoelétrica a carvão de Sines.

A EDP anunciou esta terça-feira que vai finalmente começar a produzir-se hidrogénio verde em Sines. O GreenH2Atlantic, projeto de produção de hidrogénio renovável, prepara-se para avançar através um consórcio formado por 13 entidades, incluindo empresas como EDP, Galp, ENGIE, Bondalti, Martifer, Vestas Wind Systems A/S, McPhy e Efacec, e parceiros académicos e de investigação como ISQ, INESC-TEC, DLR e CEA, e do cluster público-privado Axelera.

O projeto terá um financiamento de 30 milhões de euros que servirá para a construção da unidade de hidrogénio, localizada na antiga central termoelétrica de Sines. A construção deverá arrancar em 2023 e a operação deverá começar em 2025, datas essas sujeitas às devidas autorizações pelas autoridades.

O GreenH2Atlantic foi um dos três projetos selecionados no âmbito do Horizon 2020 – Green Deal para demonstrar a viabilidade do hidrogénio verde numa escala de produção e aplicação tecnológica sem precedentes.

O eletrolisador de 100 MW será composto por módulos inovadores e escaláveis de 8 MW, com capacidade, para “atingir a máxima eficiência, dimensão, vida útil e flexibilidade”, refere a EDP em comunicado.

Outras características inovadoras incluem o sistema de interface composto por tecnologias de gestão avançada que permitirão a ligação direta do eletrolisador a energia renovável híbrida local (solar e eólica).

“O hidrogénio verde é apontado como um dos pilares do crescimento económico, sendo um vetor energético decisivo no processo de descarbonização dos principais setores da economia. Este projeto materializa a transição de uma antiga central de produção de energia a partir do carvão para uma inovadora unidade de produção de hidrogénio renovável, em linha com a estratégia e objetivos europeus de neutralidade carbónica”, diz a EDP no mesmo comunicado, salientando ainda que “com a criação de um ‘cluster’ de hidrogénio em Sines, o GreenH2Atlantic contribuirá significativamente para os objetivos de sustentabilidade da região e de Portugal e será um importante contributo para cumprir o roteiro de transição energética”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Carvão dá lugar a hidrogénio verde. Projeto GreenH2Atlantic arranca em Sines com 30 milhões da UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião