IFRRU 2020 chega aos 1.084 milhões de financiamento para reabilitar edifícios

Só em 2021 foram acordados 307 milhões de euros de financiamento. Desde que o IFRRU foi criado, já foram assinados 308 contratos de reabilitação urbana.

O Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbana (IFRRU) conseguiu só em 2021 307 milhões de euros em investimento contratado em reabilitação urbana, superando os números de 2019. Foi o “melhor resultado de sempre” alcançado em apenas um ano, diz o Ministério das Infraestruturas e da Habitação, em comunicado enviado esta quinta-feira. Já foram assinados 360 contratos, num total de 1.084 milhões de investimento.

De todos os contratos que já foram assinados desde 2018, ano em que arrancou o IFRRU, 162 serão edifícios destinados a habitação, 182 a atividades económicas e 16 a equipamentos de utilização coletiva, abrangendo equipamentos culturais públicos e sociais e de apoio social, bem como residências para estudantes, detalha o comunicado. A maioria dos projetos (281) é promovida por empresas e os restantes por particulares, IPSS e autarquias.

Desde que o IFRRU começou, já foram reabilitados 101 edifícios, havendo já 82 municípios em todo o país com financiamentos através deste programa.

O IFRRU 2020 foi criado no âmbito do Portugal 2020 e é o maior programa de incentivo à reabilitação urbana lançado no país. O programa foi prorrogado até 2023 e tem uma capacidade de financiamento de 1.400 milhões de euros (cerca de 70% já está esgotada) depois de a dotação ter sido reforçada em dez milhões de euros.

IFRRU 2020 oferece “empréstimos em condições excecionalmente vantajosas”

Na altura do lançamento do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRRU), em novembro de 2017, criado no âmbito do Portugal 2020, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que o objetivo do Governo era “criar as condições para que a reabilitação” fosse “a principal forma de intervenção ao nível do edificado e do desenvolvimento urbano”.

E o caminho tem sido trilhado desde então. O IFRRU 2020 disponibiliza 1,4 mil milhões de euros para intervenções que se destinem à reabilitação integral de edifícios com idade igual ou superior a 30 anos, de espaços e unidades industriais abandonadas e ainda a intervenções em frações privadas inseridas em edifícios de habitação social, que sejam alvo de reabilitação integral.

Nas palavras do ministro, o IFRRU 2020 permite “empréstimos em condições excecionalmente vantajosas” face às existentes no mercado (em termos de taxas de juro, maturidades e períodos de carência), com verbas vindas de diversas fontes, em que 700 milhões são fundos públicos e comunitários e os outros 700 milhões colocados por quatro bancos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

IFRRU 2020 chega aos 1.084 milhões de financiamento para reabilitar edifícios

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião