Avaliação bancária volta a subir e atinge recorde de 1.285 euros por metro quadrado

Banca volta a rever em alta os preços das casas pelo quarto mês seguido, com a avaliação bancária das habitações a fechar 2021 num novo valor recorde de 1.285 euros por metro quadrado.

O valor médio da avaliação bancária na habitação para o total do país aumentou 13 euros em dezembro, fixando-se em 1.285 euros por metro quadrado no final de 2021, naquele que é o valor mais elevado desde janeiro de 2011, quando começa a série do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Foi o quarto mês seguido de subidas, depois de ter estabilizado em agosto. Ao longo do ano de 2021, o valor médio registou uma subida 115 euros por metro quadrado face a dezembro de 2020, que é o maior avanço anual desde que há registos.

O valor médio da avaliação bancária tem como base inquéritos aos bancos no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação — foram realizadas cerca de 30 mil avaliações em dezembro, mais 14,8% em termos homólogos, de acordo com o INE.

O facto de o valor se manter em alta há vários anos revela a confiança das instituições financeiras nos empréstimos às famílias para comprar casa. Nem mesmo o impacto económico da pandemia travou esta escalada.

Com o valor de fecho de 2021, uma casa com 100 metros quadrados, por exemplo, estaria avaliada pelos bancos em 128.500 euros em termos médios nacionais (e por referência), havendo diferenças de região para região. Há um ano esta mesma casa teria uma avaliação de 115.600 euros, ou seja, menos 12.900 euros.

Evolução da avaliação bancária das casas por metro quadrado:

Fonte: INE

O maior aumento face ao mês anterior registou-se na Região Autónoma dos Açores (2,6%), enquanto a Região Autónoma da Madeira apresentou a descida mais acentuada (-1,2%). O Algarve tem o valor mediano mais alto, nos 1.731 euros por metro quadro, e o Alentejo o valor mais baixo, nos 867 euros.

Por segmento de habitação, o valor médio da avaliação dos apartamentos fixou-se nos 1.419 euros por metro quadrado, enquanto o valor atribuído pelos bancos às moradias se situou nos 1.030 euros.

Valor médio de 2021 sobe 9%

Numa análise anual, o valor mediano de avaliação para o ano 2021 fixou-se em 1.231 euros por metro quadrado, o que se traduziu num acréscimo de 9,0% relativamente a 2020, segundo o INE.

Todas as regiões registaram crescimentos no valor anual, tendo Lisboa apresentado a variação mais intensa (8,7%) e a Região Autónoma dos Açores o menor aumento (3,9%).

Por natureza de alojamentos, no ano de 2021, o valor mediano de avaliação bancária aumentou 10,0% nos apartamentos e 5,9% nas moradias.

(Notícia atualizada às 11h57)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Avaliação bancária volta a subir e atinge recorde de 1.285 euros por metro quadrado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião