Dona do Pingo Doce dá prémio de 550 euros a cada funcionário

Retalhista “incrementa em cerca de 50 euros” o prémio relativo aos lucros de 2021, em comparação com os anos anteriores. “Vamos pagar bons prémios porque o ano foi bom e tudo correu bem", diz a CEO.

A Jerónimo Martins vai passar um cheque de cerca de 550 euros a “todas as equipas operacionais”, o que inclui os trabalhadores dos centros de distribuição em Portugal e também os funcionários das lojas do Pingo Doce, Recheio, Jeronymo e Hussel.

O “número redondo” do prémio referente aos lucros de 2021 ainda está a ser apurado, mas a CEO do Pingo Doce, Isabel Ferreira Pinto, adiantou que o grupo vai “incrementar [o valor] em cerca de 50 euros”, face aos 500 euros que distribuiu no ano passado.

“Ainda estamos a fechar [o montante exato] e em processo de avaliações, só daqui a um mês [será definido]. Mas vamos pagar bons prémios porque o ano foi bom e tudo correu bem”, assegurou a responsável durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2021 em que o presidente do grupo pediu “bom senso” nas negociações relativas à subida dos preços dos produtos alimentares.

Este prémio vai ser assim pago em Portugal pelo 16º ano consecutivo. No ano passado foi atribuído a 23 mil colaboradores das operações em Portugal – 84% dos elegíveis -, juntamente com o salário de abril. Foram distribuídos 11 milhões de euros no mercado nacional e cerca de 50 milhões de euros a nível global a um total de 80.100 pessoas em Portugal, na Polónia e na Colômbia.

Este ano, calculou Pedro Soares dos Santos, presidente e administrador-delegado da Jerónimo Martins, o prémio a “pagar às pessoas” rondará os 220 a 230 milhões de euros. Em 2021, os lucros da retalhista alimentar aumentaram 48%, para 463 milhões de euros, com o grupo a propor a distribuição aos acionistas de um payout extraordinário de 100% dos resultados líquidos obtidos no exercício.

Segundo dados oficiais, 87% dos trabalhadores das lojas e centros de distribuição do Pingo Doce tiveram aumentos salariais em 2021, com a retribuição média mensal na área operacional a subir 4,3%. No Recheio, as valorizações remuneratórias abrangeram 78% dos funcionários destas categorias e o aumento médio foi de 4,8%.

Como a Pessoas/ECO adiantou em janeiro, para 2022, a Jerónimo Martins decidiu aumentar “entre 7% e 25%” os salários de entrada dos colaboradores do grupo. Um investimento de 22 milhões de euros no reforço das remunerações de entrada, abrangendo cerca de 26 mil colaboradores.

Na conferência de imprensa, a CEO do Pingo Doce referiu ainda que nas compras online, cuja operação é feita em parceira com o Mercadãoadquirido pela Glovo em setembro de 2021 -, não perspetiva a subida da taxa de entrega dos produtos, em resultado do custo dos combustíveis. “Para já, não esta em cima da mesa o aumento da taxa de entrega. Mas em tempos tão imprevisíveis são decisões que vamos tomando semana a semana”, sublinhou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dona do Pingo Doce dá prémio de 550 euros a cada funcionário

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião