Von der Leyen e Biden querem impedir Rússia de pagar guerra com reservas de ouro

  • Lusa
  • 24 Março 2022

"Os EUA e a UE estão a trabalhar em conjunto no sentido de diminuir a capacidade da Rússia de utilizar as suas restantes reservas internacionais, incluindo ouro", indicam von der Leyen e Biden.

A líder da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o Presidente norte-americano, Joe Biden, comprometeram-se esta quinta-feira a limitar a capacidade do regime russo em utilizar reservas internacionais, incluindo de ouro, para financiar a guerra na Ucrânia.

Os Estados Unidos e a União Europeia [UE] estão a trabalhar em conjunto no sentido de diminuir a capacidade da Rússia de utilizar as suas restantes reservas internacionais, incluindo ouro, para apoiar a sua economia e financiar a sua guerra ilegal”, vincam Ursula von der Leyen e Joe Biden, numa declaração conjunta divulgada esta noite.

No dia em que Joe Biden está presencialmente em Bruxelas, após ter participado em cimeiras na NATO, do G7 e no arranque dos trabalhos do Conselho Europeu, os dois responsáveis vincam que “EUA e UE reforçaram e alinharam os seus regimes de sanções, juntamente com os parceiros de todo o mundo que partilham da mesma opinião”.

“Hoje, os Estados Unidos sancionam mais de 400 indivíduos e entidades adicionais para se alinharem com as medidas tomadas pela UE […]. A Comissão, em conformidade com as suas competências, continuará a apoiar outras medidas semelhantes”, indicam.

E garantem: “Juntos, vamos procurar responsabilizar os responsáveis pela devastação e comprometemo-nos a impor mais custos à Rússia até que Putin cesse a sua agressão”.

Ursula von der Leyen e Joe Biden defendem ainda que “devem ser intensificados os esforços para coordenar as respostas contra a evasão às sanções”.

A posição surge depois de, horas antes, os líderes do grupo dos sete países mais industrializados do mundo (G7) e a UE se terem manifestado disponíveis para reforçar sanções à Rússia pelo ataque à Ucrânia, nomeadamente limitando transações em ouro pelo banco central russo.

Antes, a Casa Branca anunciou que os países do G7 e da UE iriam sancionar as transações envolvendo reservas de ouro da Rússia, para evitar que Moscovo contorne as sanções impostas pelo Ocidente.

Na declaração do G7, foram também apontadas medidas para estabilizar o mercado energético e fazer face à escalada de preços, bem como iniciativas para assegurar segurança alimentar em altura de constrangimentos e problemas de stock.

Nesta matéria, Ursula von der Leyen e Joe Biden comprometem-se, na declaração conjunta, a “dar mais passos concretos na cooperação energética” entre os Estados Unidos e a UE “para garantir a segurança do aprovisionamento e reduzir a dependência dos combustíveis fósseis russos”.

Já quanto à área do abastecimento, e “a fim de evitar uma potencial crise alimentar desencadeada por aumentos de preços e perturbações”, Washington e Bruxelas asseguram “redobrar os esforços combinados para aumentar a segurança alimentar global e fornecer ajuda alimentar direta, sempre que tal se justifique, aos parceiros em todo o mundo”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Von der Leyen e Biden querem impedir Rússia de pagar guerra com reservas de ouro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião