Tyson Foods. “Lisboa está a emergir como um hub de TI chave na Europa”

O hub tech em Lisboa é o primeiro investimento da gigante norte-americana no mercado português e visa impulsionar os planos de crescimento da companhia na Europa.

Centro TI da Tyson Foods em Springdale, nos Estados UnidosD.R.

A Tyson Foods, uma das maiores empresas mundiais no setor alimentar, escolheu Lisboa para abrir um centro tecnológico que irá ajudar a dona de marcas como Jimmy Dean e Hillshire Farm a “redefinir a indústria alimentar através da tecnologia”. O hub arranca em maio já com 30 colaboradores, mas o objetivo é atingir mais de 200 postos de trabalho qualificados.

O centro em Lisboa é o primeiro investimento da gigante norte-americana no mercado português e visa impulsionar os planos de crescimento da companhia na Europa.

“O hub português envolverá as pessoas, sistemas e processos para prestar apoio adicional à expansão da Tyson Foods nos mercados europeus. Os serviços prestados em Lisboa irão incluir um lote alargado de tecnologia, incluindo SAP/S4Hana, Data Sciences e Full Stack Software Engineering“, adianta Dan Barrett, vice president, IT Europe na Tyson Foods, à Pessoas.

Há três dezenas de ofertas disponíveis, das mais de duas centenas que a companhia conta criar no país.

A Tsyon Foods está a abrir um hub tecnológico em Lisboa. Na hora de decidir, o que pesou a favor de Lisboa face a outras capitais europeias?

Pesou o seu excelente talento emergente, muitos boas estruturas de apoio e qualidade de vida para implementar o nosso hub tecnológico. A Tyson Foods esforça-se por ser um empregador de escolha, e a implementação de um hub de TI em Portugal é mais um passo para assegurar que os membros da equipa têm as ferramentas e os recursos necessários para serem bem sucedidos. Lisboa está a emergir como um hub TI chave na Europa com a acessibilidade internacional e os benefícios para colaboradores, como formação para skills no trabalho e vida, um ambiente de trabalho seguro e compensação competitiva.

Já estão 30 vagas disponíveis. Até quando contam ter os 200 empregos em TI criados?

Vamos abrir o hub a 2 de maio e esperamos ter 30 colaboradores na primeira vaga, e atingir as 200 posições nos próximos 18 a 24 meses.

Centro TI da Tyson Foods em Springdale, nos Estados UnidosD.R.

Que tipo de serviços e para que mercados é que o hub de Lisboa irá prestar serviços?

O hub português envolverá as pessoas, sistemas e processos para prestar apoio adicional à expansão da Tyson Foods nos mercados europeus. Os serviços prestados em Lisboa irão incluir um lote alargado de tecnologia, incluindo SAP/S4Hana, Data Sciences e Full Stack Software Engineering.

Esperamos que o hub de TI de Lisboa entregue as ideias mais recentes para a segurança dos humanos e da alimentação e que ajude verdadeiramente a impulsionar os nossos serviços globais.

Qual foi o investimento neste projeto?

Por questões de concorrência, não partilhamos dados de investimento.

Há planos para novos investimentos no mercado português, em outras localizações?

Nesta fase não há planos adicionais para novos investimentos TI no mercado português.

Estamos a criar um pacote total de benefícios que é competitivo no mercado, mas mais importante, o centro estará focado sobretudo em projetos de inovação e em redefinir a indústria alimentar através da tecnologia.

E novos hubs para a Europa?

Neste momento, não há novos planos para nenhum novo hub TI para a Europa. Estamos a concentrar todos os nossos esforços no nosso hub europeu em Lisboa.

A procura pelo talento tech é crescente e a oferta não é suficiente para toda a procura. Que estratégia estão a usar para ganhar vantagem face à concorrência? Melhores salários, mais benefícios, um misto dos dois…

A procura pelo talento TI é um desafio global que afeta não apenas Lisboa. Estamos a criar um pacote total de benefícios que é competitivo no mercado, mas mais importante, o centro estará focado sobretudo em projetos de inovação e em redefinir a indústria alimentar através da tecnologia. Projetos interessantes, juntamente com tecnologia cloud moderna ajuda-nos nos nossos esforços em atrair o melhor talento possível.

Flexibilidade nos modelos de trabalho é hoje um tema quente. Como estão a acomodar estes requisitos do talento? Que tipo de modelo de trabalho irão ter no hub?

A pandemia acelerou um movimento mais permanente para um modelo de trabalho híbrido. O nosso modelo em Lisboa será híbrido. Iremos manter os benefícios e flexibilidade do trabalho remoto e dar possibilidade de trabalho num escritório físico perto do Marquês de Pombal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tyson Foods. “Lisboa está a emergir como um hub de TI chave na Europa”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião