Guerra na Ucrânia terá “um impacto económico significativo”, diz Gentiloni

  • Lusa
  • 9 Maio 2022

As políticas orçamentais devem continuar“ágeis” e “responsivas”, tal como durante a pandemia, de acordo com o comissário europeu, que alerta que na próxima semana as previsões "serão ajustadas".

O comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, considerou esta segunda-feira que a guerra na Ucrânia terá “um impacto económico significativo”, precisando que, no atual contexto, devem ser mantidas políticas orçamentais “ágeis” e “responsivas”, tal como durante a pandemia.

O custo humanitário e económico da guerra dependerá da sua duração. No entanto, é evidente que a guerra terá um impacto económico significativo e que as nossas previsões anteriores terão de ser ajustadas”, referiu o comissário europeu numa mensagem de vídeo transmitida na conferência “Que visão para uma Economia Europeia Resiliente e Sustentável”, a decorrer esta segunda em Lisboa.

Este ajustamento será conhecido quando, na próxima semana, a Comissão Europeia divulgar as suas previsões económicas da primavera atualizadas, indicou. “No atual contexto geopolítico, a nossa resiliência económica é crucial não apenas para proteger os nossos cidadãos como também o nosso modelo de democracia liberal”, referiu o comissário europeu, na abertura da conferência, organizada pelo Jornal de Negócios, com o apoio da Católica Business School, no âmbito do Dia da Europa.

Neste contexto, Paolo Gentiloni salientou ser necessário “manter as políticas orçamentais ágeis e responsivas” à semelhança do que foi feito durante a pandemia, sinalizando as orientações atualizadas sobre a política orçamental de 2023 que a Comissão Europeia vai fornecer no âmbito do pacote da primavera do semestre europeu.

Gentiloni salientou ainda a necessidade de se acelerar a transição verde, como forma de a União Europeia reduzir a dependência das importações de combustíveis fósseis e garantir que preços e energia mais acessíveis. “Devemos [também] continuar a implementar efetivamente os planos nacionais de recuperação e resiliência que os Estados Membros implementaram após a pandemia”, referiu o comissário europeu, realçando que “Portugal está a fazer bons progressos no seu plano” numa referência à avaliação positiva que a Comissão fez recentemente do pedido de pagamento, na sequência do cumprimento das metas e objetivos acordados.

“Devemos [também] continuar a implementar efetivamente os planos nacionais de recuperação e resiliência que os Estados-membros implementaram após a pandemia”, referiu o comissário europeu, realçando que “Portugal está a fazer bons progressos no seu plano” numa referência à avaliação positiva que a Comissão fez recentemente do pedido de pagamento, na sequência do cumprimento das metas e objetivos acordados.

Continuar nesse espírito será fundamental para apoiar a confiança e realizar os investimentos e as reformas de que nossas economias precisam, agora mais do que nunca”, afirmou o responsável do executivo europeu pela área da Economia.

O comissário lembrou ainda os primeiros passos da construção do projeto europeu e as 70 décadas de paz e prosperidade que tal conferiu à Europa, assinalando que essa conquista está em risco perante o regresso de uma guerra junto às fronteiras da União Europeia e da NATO.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Guerra na Ucrânia terá “um impacto económico significativo”, diz Gentiloni

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião