‘Cleantech’ Annea levanta 1 milhão. Quer entrar no hidrogénio verde

A Annea recorre a Inteligência Artificial e a Machine Learning para gestão de ativos na área de energias renováveis, como parques eólicos e solares.

A luso-alemã Annea, cleantech que ajuda a monitorizar e gerir parques eólicos e solares, levantou um milhão de euros numa ronda de financiamento liderada pela Faber, com a participação da alemã Innoport. Acelerar a estratégia de expansão internacional, reforçar a equipa e entrar no mercado de hidrogénio verde estão entre os objetivos desta ronda.

“A Annea está a investir o capital adicional na expansão da sua posição no mercado das energias renováveis, através da ampliação da equipa de peritos que combina um profundo conhecimento tecnológico da indústria com a digitalização. O capital permitirá à Annea disponibilizar a sua plataforma aos intervenientes globais da indústria, enquanto a fiabilidade proporcionará confiança nas inovações impulsionadas pelos dados que revolucionam as operações e a manutenção. Com a Annea, os intervenientes globais da indústria estão a alavancar um potencial oculto, ao mesmo tempo que contribuem significativamente para as emissões zero”, diz Marcel Frenzel, CCO e fundador da Annea, com Maik Reder (CEO), citado em comunicado.

A Annea recorre a Inteligência Artificial e a Machine Learning para gestão de ativos na área de energias renováveis como parques eólicos e solares, “através da criação de digital twins dos ativos e dos seus componentes e recorrendo aos dados de sensores existentes”.

Criada em 2019, a cleantech diz ter um “nível de precisão de 99,9% e sem necessidade de instalação de hardware adicional”, prevendo avarias até 12 meses de antecedência e estimando o tempo de vida útil restante dos diferentes componentes. Permite ainda aos clientes “otimizar o seu potencial de energia disponível até 15% através do módulo deteção de subdesempenho.”

A startup visa ajudar empresas de energias renováveis a reduzir os seus custos de Operação e Manutenção (O&M), que atualmente ascendem a 30%.

“Estima-se que nos próximos quatro anos o mercado internacional de energias renováveis cresça mais de 60%, excedendo os 4.800 GW, refletindo o enorme potencial do setor e uma oportunidade para tornar a energia verde ainda mais acessível”, destaca nota de imprensa.

Reforçar equipa

Acelerar a estratégia de expansão internacional e entrar no mercado de hidrogénio verde estão entre os objetivos desta ronda de investimento. Mas não só. Nos planos está igualmente o reforço da equipa. Hoje trabalham 10 pessoas na Annea, pretendendo a startup contratar entre 8-10 pessoas, segundo adiantou fonte oficial à Pessoas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

‘Cleantech’ Annea levanta 1 milhão. Quer entrar no hidrogénio verde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião