PSI escapa às perdas na Europa e sobe mais de 1%

  • Joana Abrantes Gomes
  • 19 Maio 2022

A praça de Lisboa contrariou o dia de perdas na Europa, impulsionada pela Altri, o BCP e a EDP Renováveis, que subiram mais de 4%.

O principal índice da bolsa portuguesa fechou a sessão desta quinta-feira a subir 1,31%, para 5.904,72 pontos, contrariando as perdas das praças europeias e do outro lado do Atlântico. Os ganhos do PSI foram impulsionados, sobretudo, pela Altri, o BCP e a EDP Renováveis, que avançaram mais de 4%.

Olhando para as congéneres do Velho Continente, o Stoxx 600, o índice que agrega as 600 principais cotadas europeias, caiu 1,5%, tal como o francês CAC 40. O espanhol IBEX cedeu 1,3%, o alemão DAX encolheu 1,1% e o britânico FTSE 100 deslizou 2%.

Numa altura em que os investidores receiam uma recessão económica, devido à escalada da taxa de inflação e, consequentemente, à normalização da política monetária pelos bancos centrais, um terço das cotadas do PSI caiu, com as outras 10 a registarem avanços.

A Altri liderou os ganhos esta quinta-feira, tendo avançado 4,79%, para os 5,36 euros por ação. Seguem-se o Banco Comercial Português e a EDP Renováveis, que encerraram a subir, respetivamente, 4,55% e 4,47%.

Também acima da linha de água e com ganhos expressivos, destacam-se mais cotadas do setor energético, como a Greenvolt e a EDP: enquanto a subsidiária da Altri avançou 2,36%, a empresa liderada Miguel Stilwell d’Andrade acelerou 2,57%. Acima dos 2% ficou ainda a Mota Engil.

A subir menos de 1%, mas ainda assim no “verde”, ficaram a Sonae, a Semapa, a REN e a Jerónimo Martins.

A impedir maiores ganhos do PSI está a Galp, a cotada mais penalizada da sessão desta quinta-feira. A petrolífera fechou com uma desvalorização de 1,46%, para os 10,77 euros por ação.

No “vermelho” ficaram ainda a Corticeira Amorim, que perdeu 1%, e os CTT, que recuaram 0,95%, para 3,65 euros. Com menores perdas, a Navigator e a NOS deslizaram 0,39% e 0,10%, respetivamente.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

PSI escapa às perdas na Europa e sobe mais de 1%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião