Construtoras portuguesas já fazem orçamentos com validade de oito dias

  • ECO
  • 20 Maio 2022

Aumentos de custo entre os 50% e aos 100% estão a fazer com que as construtoras reduzam o período de validade dos orçamentos entregues aos clientes, já havendo prazos entre os oito e os quinze dias.

A escalada de preços dos materiais e dos equipamentos está a empurrar as construtoras portuguesas para uma redução do prazo de validade do orçamento entregue aos clientes, passando o mesmo de entre um e seis meses, para entre oito e 15 dias, avança esta sexta-feira o Jornal de Negócios (acesso pago).

Três médias empresas ligadas ao setor da construção apontam para aumentos de custos entre 50% e 100%, bem como falhas de fornecimento e subida dos preços das matérias-primas e mão-de-obra. Apesar disto, as empresas ouvidas mostram-se confiantes relativamente a este ano, mas admitam prudência face à atual situação de guerra na Ucrânia.

Os responsáveis da construção apontam a guerra na Ucrânia como causa do agravamento significativo das dificuldades e das perspetivas de resultados a curto prazo, e destacam que os aumentos dos materiais durante a pandemia foram pontuais, contrariamente aos aumentos generalizados agora em vigor.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Construtoras portuguesas já fazem orçamentos com validade de oito dias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião