1s1 Energy avança com projeto de hidrogénio verde de 63 milhões em Portugal

A localização deste projeto ainda não está definida, embora esteja em hipótese a região do médio Tejo, sendo Abrantes uma das possíveis localizações.

O primeiro projeto de hidrogénio em solo português a ganhar o selo de Projeto Importante de Interesse Europeu Comum (IPCEI) na área do hidrogénio verde, é da 1s1 Energy Portugal, uma subsidiária da norte-americana 1s1 Energy. O projeto selecionado prevê um investimento de 63 milhões de euros, sendo que a Comissão Europeia autorizou agora a atribuição de apoios públicos, embora não esteja definida a quantia, diz ao Eco/Capital Verde o responsável da subsidiária portuguesa, Thiago Figueiredo.

A Comissão Europeia anunciou esta sexta-feira que iria desbloquear uma verba de 5,4 mil milhões a 43 projetos, distribuídos por 35 empresas a atuar em 15 Estados membros, no âmbito do programa ‘IPCEI Hy2Tech’. Em Portugal, a 1s1 Energy foi a única selecionada – e também a única candidata – nesta fase, diz fonte próxima do processo ao Eco/Capital Verde. Esta está focada em soluções tecnológicas na área do hidrogénio. Projetos de produção e utilização de hidrogénio também poderão vir a receber verbas europeias, mas estarão sujeitos a uma outra avaliação.

A localização deste projeto ainda não está definida, embora esteja em hipótese a região do médio Tejo, sendo Abrantes uma das possíveis localizações, indica Thiago Figueiredo. O projeto IPCEI completo da 1s1 Energy Portugal irá empregar 86 pessoas quando estiver em plena capacidade operacional, o que se prevê que aconteça em 2027.

O projeto da 1s1 Energy tem duas frentes: por um lado, a aposta nos chamados módulos, que Thiago Figueiredo descreve como o “coração” do eletrolisador, o equipamento que permite a produção de hidrogénio através da separação das moléculas de oxigénio, existentes na água, das de hidrogénio. O objetivo é entregar 300 megawatts por ano de módulos a partir de 2027.

E a 1s1 Energy não quer entregar estes módulos sozinhos: procuram uma empresa parceira que faça o balanço de planta, ou seja, que seja responsável pela integração do módulo em projetos que permitam aos clientes – empresas produtoras de hidrogénio verde – o uso deste para produzir hidrogénio em larga escala.

Por outro lado, a empresa quer produzir componentes para células de combustível, que transformam o hidrogénio em energia, e que são usadas por exemplo nos autocarros movidos a hidrogénio.

De acordo com Thiago Figueiredo, a empresa vem inovar do ponto de vista da engenharia dos materiais: querem usar materiais mais baratos, com maior durabilidade e que permitam um desempenho superior, para diminuir o custo de produção. A empresa também esta a trabalhar em inovações no design e no processo produtivo dos seus módulos. A tecnologia da 1s1 Energy procura viabilizar o custo de produção de hidrogénio verde abaixo de 2 euros por quilograma.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

1s1 Energy avança com projeto de hidrogénio verde de 63 milhões em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião