Diversidade e inclusão. “As escolas de negócios podem ter um papel a desempenhar”

Recrutar estudantes no the Lisbon MBA Católica | Nova implica uma avaliação não só individual, mas sem esquecer o efeito sinergético que o candidato trará para a experiência da turma.

Tal como ao recrutar profissionais, selecionar estudantes não é uma tarefa fácil. No the Lisbon MBA Católica | Nova, a diversidade tem um papel muito importante e influencia todo o processo. Privilegiam-se estudantes que estejam “ansiosos para impulsionar e inspirar mudanças com propósito”, mas também que, juntamente com os colegas já selecionados, criem uma “experiência única de aprendizagem”. Ou seja, olha-se para cada peça do puzzle em separado, mas sem esquecer que é preciso ver se o puzzle completo resulta.

E se resultar significa que cada aluno aporta algo diferente turma, “elevando os padrões de aprendizagem e inspirando novos ângulos de investigação, novos modelos de análise e novas soluções e abordagens aos desafios do mundo real”, diz Cláudia Lucas, marketing & admissions director do the Lisbon MBA Católica | Nova, uma das escolas com os melhores programas de MBA em Portugal, segundo a consultora britânica Quacquarelli Symonds. Está entre o top 120 dos melhores do mundo, ocupando a posição 111.ª – 120.ª, que partilha com outras instituições de ensino, e faz parte do top 40 europeu, no 35.º lugar do ranking.

A métrica que avalia a diversidade foi, precisamente, aquela em que a the Lisbon MBA mais se destacou, com um score de 60.9. A Pessoas falou com Cláudia Lucas sobre como este tema está presente na escola de negócios e como influencia os processos de recrutamento e seleção.

Cláudia Lucas é marketing & admissions director do the Lisbon MBA Católica | Nova.

A diversidade faz-nos refletir e criar soluções mais inovadoras. É um fator fundamental na formação do the Lisbon MBA Católica | Nova?

Sem dúvida. Através da diversidade, conseguimos compreender melhor as experiências e perspetivas dos outros, desafiar os nossos próprios pressupostos, e desenvolver novas formas para responder aos desafios de um mercado em disrupção e constante evolução. Consideramos que a inovação, tão necessária nos tempos que vivemos, só pode ser maximizada com a valorização da diversidade e inclusão.

Inúmeros estudos mostram que as estratégias de diversidade e inclusão influenciam diretamente o crescimento e evolução das empresas, e têm um impacto direto na produtividade e no seu sucesso financeiro. Obviamente, a mudança neste sentido não acontece de um dia para o outro. É um caminho.

A diversidade de género, cognitiva ou geracional são apenas exemplos daqueles que devem ser os princípios nas organizações, particularmente a partir de decisores e cargos de topo. As escolas de negócios podem ter um papel a desempenhar, pelo caminho de transformação que proporcionam aos seus alunos, atuais e futuros líderes, ajudando-os a ter uma visão clara do que deverá ser a sua carreira e o impacto que podem ter no mundo.

As de topo há muito que começaram este percurso. Fizeram-no, por exemplo, definindo critérios de diversidade no processo de recrutamento, promovendo a variedade nos conteúdos programáticos, criando bolsas que facilitam o acesso à formação, valorizando a diversidade de experiências, geográfica, cultural, de etnias, crenças ou género, como pilar central da sua existência.

Que ferramentas utilizam para garantir a diversidade nas turmas?

Nos nossos programas de MBA não há número limite para candidatos estrangeiros e os processos de admissão decorrem durante todo o ano, permitindo aos alunos programar com antecedência, e de forma organizada, a sua candidatura.

Para promover a excelência, a diversidade e a inclusão no the Lisbon MBA Católica | Nova, temos disponível várias bolsas de estudo: a “The Lisbon MBA Scholarship”, que se destina a candidatos que pela sua forte componente de diversidade irão contribuir de uma forma excecional para o enriquecimento da aprendizagem em aula; a “Entrepreneur Scholarship”, para candidatos com uma sólida experiência no ecossistema do empreendedorismo; a “Woman in Business Scholarship”, destinada a candidatas do sexo feminino com carreiras notáveis; a “Social Impact Scholarship”, para profissionais que tenham trabalhado no setor terciário durante, pelo menos, dois anos; e a “Merit Scholarship”, para candidatos com um percurso académico de excelência.

Como é que se recruta para um MBA? A que critérios e competências é preciso dar especial atenção?

No the Lisbon MBA Católica|Nova procuramos um grupo diversificado de candidatos com elevados padrões éticos e forte potencial que partilham a nossa missão e valores, que pretendem impulsionar as suas carreiras, que se querem desafiar e desafiar limites, com curiosidade intelectual, que estão ansiosos para impulsionar e inspirar mudanças com propósito e que querem ter uma experiência de aprendizagem transformadora e tornarem-se líderes com impacto positivo na sociedade e no mundo.

Saber trabalhar em equipa, ter uma atitude colaborativa e destacar-se em competências de liderança são essenciais nos requisitos de admissão e fundamentais para cooperar e criar uma experiência única de aprendizagem.

Integridade, ética e respeito são valores que fazem parte do nosso ADN e quem se junta a nós deve partilhá-los de base. Não é algo excecional, é algo de princípio. Saber trabalhar em equipa, ter uma atitude colaborativa e destacar-se em competências de liderança são essenciais nos requisitos de admissão e fundamentais para cooperar e criar uma experiência única de aprendizagem.

Ao lado da capacidade académica de dominar conceitos analíticos e quantitativos, procuramos candidatos que tragam diversas perspetivas e experiências, bem como ter classes que primem pela diversidade e inclusão, definida no seu sentido mais amplo, assegurando que uma variedade de culturas, raças, géneros, crenças, experiências educativas e profissionais, irão elevar os padrões de aprendizagem e inspirar novos ângulos de investigação, novos modelos de análise e novas soluções e abordagens aos desafios do mundo real.

Na prática, como funciona o processo de admissões?

Numa primeira fase, é analisada detalhadamente a candidatura pela equipa de admissões. Procuramos os alunos mais promissores em termos intelectuais, com potencial de liderança, valores, paixões, experiências e ambições. Cada candidato é analisado de forma individual, sem esquecer o efeito sinergético que irá trazer para a experiência de aprendizagem da classe.

Em termos intelectuais, para além do background académico ou resultados de exames de admissão, avaliamos a sua proatividade em adquirir novos conhecimentos; a atitude em desafiar o status quo; e a sua predisposição para ouvir e partilhar novas ideias ou perspetivas, que serão determinantes para o envolvimento em aula.

Queremos também perceber comportamentos e skills de liderança, nomeadamente pensamento estratégico, resiliência, espírito de equipa, valores, ética, interesses, e o impacto positivo que teve em experiências passadas. Todos estes aspetos irão ajudar-nos a compreender como esta diversidade irá enriquecer a classe e a nossa comunidade de uma forma geral.

Cada candidato é analisado de forma individual, sem esquecer o efeito sinergético que irá trazer para a experiência de aprendizagem da classe.

Depois de analisada a candidatura, o candidato é convidado para uma entrevista, em inglês, com uma duração de cerca de 45 minutos. A candidatura é posteriormente analisada pelo Comité de Admissões, e é tomada uma decisão final.

Como é que foi recrutar e gerir a escola em tempos de pandemia?

Perante um cenário de pandemia, respondemos de forma ágil e em colaboração com alunos e professores, garantindo a continuidade dos programas em todas as turmas, Executive MBA (part-time) e International MBA (full-time), com o mínimo de disrupção.

Toda a comunidade (escolas, professores, alunos, alumni e management team) mostram todos os dias, valores de liderança, resiliência e espírito de equipa que nos permitiram ultrapassar esta situação e sair mais fortes. Tivemos sempre bem presente a nossa missão, de contribuir para a comunidade através da mobilização dos nossos alunos para ações com impacto, ajudando a superar os desafios gerados pelo contexto atual.

Um bom exemplo foi a participação dos nossos alunos do International MBA na iniciativa “We all have a role to play”, promovido pela Nova SBE, que tem como objetivo apoiar pequenas e médias empresas do município de Cascais nas áreas de hospitalidade, cultura e negócios.

Também a nossa comunidade de alumni foi uma parte muito ativa. Tendo em vista a recuperação sustentável do país, foi lançada pelo alumni board a iniciativa “ReImaginar Portugal”, que deu lugar a um documento que reúne os contributos de 30 alumni que partilharam a sua visão estratégica para a recuperação sustentada em Portugal.

Apesar da experiência online forçada pela pandemia, continuamos a privilegiar o ensino presencial e o valor da componente de action learning, na qual os alunos aprendem através da execução de projetos ligados a desafios de negócio reais e que caracteriza e diferencia a aprendizagem nos programas do the Lisbon MBA Católica|Nova.

E detetaram alguma alteração significativa em termos de procura?

Verificou-se um efeito de contraciclo: mesmo mantendo elevados critérios de rigor de admissão, registámos um aumento do número de alunos nas nossas turmas, quer do the Lisbon MBA International (IMBA), quer do the Lisbon MBA Executive (EMBA), em comparação com o ano anterior.

Tivemos turmas muito diversas em termos de nacionalidade, género e background. A título de exemplo, o International MBA, teve na classe que iniciou em janeiro de 2021 perto de 60% de alunos internacionais, que representam 16 nacionalidades.

Julgamos que esta tendência de crescimento se deve ao facto de, em tempos de crise profunda, que são também momentos de grandes mudanças, os programas de MBA com comprovado impacto se tornarem mais apelativos para os profissionais que pretendem desenvolver uma visão e um caminho claros para a sua progressão de carreira com impacto, melhorando suas competências técnicas de gestão de empresas e competências comportamentais e de liderança.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Diversidade e inclusão. “As escolas de negócios podem ter um papel a desempenhar”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião