“Antes da semana de quatro dias, temos de pensar no trabalho remoto”premium

Fundador da Fundação José Neves admite bolsas reembolsáveis para aumentar representatividade de mulheres e de minorias na área tecnológica. Prioridade é trabalho remoto antes da semana de quatro dias.

Antes de experimentarem a semana de quatro dias, as empresas devem avaliar de que forma o trabalho híbrido e remoto vai afetar a sua cultura. Esta é a avaliação de José Neves em entrevista à Pessoas/ECO. O fundador da Fundação José Neves (FJN) considerou ainda que só com trabalhadores e empresários qualificados é que se poderá aumentar a produtividade, mesmo que os salários tenham descido 11% na última década para o pessoal com formação superior. Sobre a desigualdade de salários por género, José Neves destacou que o problema tem de ser resolvido pelos empresários e admitiu que a fundação poderá criar bolsas específicas para mulheres e minorias. Mas o também fundador da Farfetch recusou falar sobre o tema dos canais de denúncia de assédio (desde 18 de junho uma obrigação legal)na

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos