“O que a direita nos propõe é um cheque em branco de descida do IRC sem nenhuma contrapartida”premium

O Partido Socialista acusa o PSD de querer dar um "cheque em branco" às empresas com a descida do IRC para 17% e argumenta que é mais eficaz descer o imposto condicionado ao aumento dos salários.

"Um cheque em branco".É assim que António Mendonça Mendes, presidente da Federação Distrital de Setúbal do PS, classifica a proposta do PSD de baixar o IRC de 21% para 17%, sem condicionar essa descida a um aumento generalizado dos salários dos portugueses. O também secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais diz, em entrevista ao ECO, que o PS quer "usar o IRC para ajudar a aumentar salários", como tem usado o IRC "para ajudar a ter mais investimento e como temos usado o IRC para ajudar as empresas a estarem mais capitalizadas".Em relação ao IRS, confrontado com a afirmação de Joaquim Miranda Sarmento (PSD) de que a descida prometida é "poucochinho", Mendonça Mendes admite que os socialistas querem continuar a desagravar o IRS, nomeadamente no âmbito do acordo de rendimentos em

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos