Cerejeira Namora, Marinho Falcão “embarca” numa nova aventura internacionalpremium

Nuno Cerejeira Namora mostrou-se orgulhoso dos 30 anos de atividade do escritório. Afirmou que os objetivos estão a ser cumpridos e que, a curto prazo, pretendem atingir uma centena de profissionais.

Foi no Colégio Maristas que há 50 anos Nuno Cerejeira Namora e Pedro Marinho Falcão conheceram-se e desenvolveram uma relação de amizade. De colegas “de carteira” a amigos, só foi na universidade que o sonho de trabalharem juntos surgiu e que concretizaram 33 anos depois com a fundação da Cerejeira Namora, Marinho Falcão.“Nascemos quase no tempo do papel timbrado, do telex e da máquina de datilografar. Passamos pelo telefax e pela máquina de fotocópias. Vimos nascer o telemóvel, os computadores e a internet. E estamos preparados para todas as novidades que o futuro nos reservar. O mundo globalizou-se e a tecnologia acelerou a sua evolução, connosco sempre ao leme”, referiu o sócio fundador Nuno Cerejeira Namora. No ano em que comemoram o 30º aniversário, o sócio mostrou-se “orgulhoso”

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos