Das creches para cães aos cabazes de compras. Nos planos de benefícios vale tudo para conquistar talentopremium

Na competição para atrair o melhor talento, o salário emocional ganha peso. Personalização e originalidade são as novas palavras de ordem na construção dos planos de benefícios das empresas.

Subsídio de alimentação e apoio com creches para cães, ajuda monetária para filhos dos colaboradores que se destaquem por um talento especial, cabazes de compras, bónus extra para a maternidade e prémios por contratação referenciada. Estes são apenas alguns dos benefícios que as empresas têm em carteira para garantir que, na hora de escolher e reter o melhor talento, ganham a corrida.

A pandemia obrigou a uma maior atenção à felicidade e bem-estar dos colaboradores, com reforço dos planos de benefícios, mas há quem defenda que estes planos ainda são demasiado rígidos e pouco personalizados. A Barkyn, a Zome, a Biogen, a Herdade Maria da Guarda e a Everis são algumas das empresas onde a aposta tem sido na criação de benefícios originais, personalizados e, em alguns casos, até um pouco invulgares. Tudo com um objetivo: cativar os colaboradores.

Animais de estimação são 'família' e parte do plano de benefícios

A Barkyn tem um portefólio de benefícios muito personalizado, direcionado para os interesses e necessidades dos seus colaboradores e, sobretudo, intimamente ligado com a filosofia humanista da startup de saúde e nutrição canina.

“A família e os animais de estimação que dela fazem parte estão entre as grandes prioridades da nossa equipa. Criámos, por isso, uma semana de licença parental para quem acolher um novo cão na família, um dia de luto para quem perde o seu animal (independentemente da espécie) ou um subsídio de alimentação e apoio com creches caninas”, conta Joana Recharte, people and culture manager da Barkyn.

"Criámos uma semana de licença parental para quem acolher um novo cão na família, um dia de luto para quem perde o seu animal (independentemente da espécie), um subsídio de alimentação e apoio com creches caninas.”

Joana Recharte

People and culture manager da Barkyn

Os colaboradores interessados em usufruir das creches podem escolher a sua predileta em termos de localização ou reputação e a startup nacional cobre as despesas. No caso da licença parental, quem acolher um novo animal pode usufruir de uma semana paga de licença.

“Sabemos que acolher um novo animal requer energia e dedicação e queremos que tenham espaço para se ambientarem”, justifica a líder de pessoas. “Gostamos de pensar que os nossos colaboradores ficam felizes por sentirem que estamos com eles nos momentos que mais importam.”

Apoiar a família

A Herdade Maria da Guarda, um dos maiores produtores de azeite em Portugal, também quer estar presente nos momentos mais importantes da vida dos seus colaboradores. Por isso, cada vez que nasce um filho a um colaborador este recebe 800 euros líquidos. E todos os meses, até o filho atingir a maioridade, passa ainda a receber um cabaz de compras de supermercado - com produtos alimentares e de limpeza - no valor de cerca de 35 euros. Um cabaz por cada um dos filhos. Ou seja, se um funcionário tiver três filhos com menos de 18 anos recebe todos os meses três cabazes do empregador. “Se formos famílias felizes, toda a sociedade beneficia, primeiro num círculo mais próximo, depois nas relações que cada um tem com terceiros”, justifica João Cortez de Lobão, proprietário da herdade.

“Antigamente ser patriótico era defender com armas e a própria vida os nossos compatriotas, para que pudessem viver no nosso território afastados de perigos e de saques do exterior. Hoje é através das instituições que lideramos que temos de ter atitudes que permitam mais e melhor desenvolvimento dos nossos”, considera.

Incluir os filhos dos colaboradores no plano de benefícios também é uma prioridade na Zome. O "Junior Talent Program" foi criado para apoiar, até aos 16 anos, crianças que participem em atividades extracurriculares de âmbito nacional ou internacional e que se destaquem pelo seu talento, seja no desporto, na cultura ou na investigação. Na prática, a empresa da área imobiliária ajuda na aquisição do material e equipamentos necessários para que as crianças continuem a praticar a sua atividade, aliviando os custos no orçamento familiar.

Desde o seu arranque em março, “o programa já recebeu cerca de uma dezena de candidaturas, tendo já sido validados e postos em prática quatro apoio a jovens talentosos, nas áreas de karting, natação e pintura”, avança João Morgado, chief operations officer da Zome, uma forma de demonstrar aos colaboradores que a empresa se preocupa com eles e com a sua família.

“Queremos colaboradores felizes e realizados porque acreditamos que isso terá reflexo no seu desempenho e, consequentemente, terá benefícios para a atividade da empresa. É a nossa forma de estar e acreditamos que é assim que se prepara o sucesso de uma empresa”, conclui o chief operations officer da Zome.

Referenciar dá direito a bónus

Em plena crise sanitária, a Everis NTT DATA avançou com o +Apoio, um programa que quer ajudar a equilibrar responsabilidades pessoais, familiares e profissionais. “Oferece-nos (e aos nossos agregados familiares) uma bolsa de horas em apoios variados, de natureza jurídica, fiscal, financeira e até psicológica”, explica Margarida Calado, head of people da Everis NTT DATA. A empresa promove ainda, semanalmente, sessões individuais de ergonomia e, nos meses de junho, julho e agosto, oferece as tardes de sexta-feira aos colaboradores.

"Este programa oferece-nos (e aos nossos agregados familiares) uma bolsa de horas em apoios variados, de natureza jurídica, fiscal, financeira e até psicológica.”

Margarida Calado

Head of people da Everis NTT DATA

“O retorno reflete-se na ligação emocional à empresa”, diz Margarida Calado, o que faz toda a diferença num mercado altamente competitivo como o das tecnologias de informação. “Está associado a desafios estimulantes, a perspetivas de evolução de carreira e reconhecimento do trabalho desenvolvido” o que, por sua vez, contribui para uma “baixa taxa de rotatividade e uma grande capacidade de atração de talento”, continua.

Na hora de atrair talento uma referência de um colaborador pode fazer diferença, e na Biogen essa iniciativa é recompensada. Na farmacêutica, que iniciou um programa de referenciação interna há mais de cinco anos, os colaboradores são incentivados a participar na captação de novos talentos. Em cada processo de recrutamento, os funcionários podem recomendar candidatos que considerem adequar-se à cultura da empresa e às funções em causa. E, caso faça match a Biogen reconhece essa recomendação.

“Caso o candidato seja recrutado, o colaborador que o referenciou terá direito a um prémio financeiro, com um valor bastante simpático”, conta Anabela Fernandes, diretora-geral da Biogen Portugal. Com esta iniciativa, que tem vindo a verificar uma adesão cada vez maior por parte dos colaboradores, a empresa quer demonstrar às pessoas que a sua voz é ouvida e que interfere no sucesso e crescimento de toda a organização.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos