Da biografia de Nabeiro às queijadas, Governo foi às compras com o desconto do IVAucherpremium

No "primeiro dos 92 dias em que os portugueses que acumularam IVA ao longo de junho, julho e agosto vão poder utilizar o saldo em descontos", Governo foi às compras mostrar como usar o IVAucher.

"Sabe como funciona o programa IVAucher?", questiona atrás da caixa uma funcionária da Bertrand. António Mendonça Mendes ri perante a pergunta, já que, na verdade, sabe de cor todos os detalhes do IVAucher, programa que tem vindo a apresentar e desenvolver nos últimos meses. O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais foi à livraria para marcar o "primeiro dos 92 dias em que os portugueses que acumularam IVA ao longo de junho, julho e agosto vão poder utilizar o saldo em descontos".

Lançamento do selo Ivaucher no CCB - 01OUT21

Depois de ponderar escolher um livro sobre técnicas de negociação, numa altura em que se aproxima a entrega do Orçamento do Estado, a primeira compra na qual o governante começou já a descontar o seu saldo IVAucher foi a biografia do empresário Rui Nabeiro, fundador e dono dos cafés Delta. A explicação do programa é feita durante o pagamento: "nas próximas 48 horas vai ser restituído o valor do desconto", diz a funcionária, ao que o secretário de Estado faz uma ligeira correção: "dois dias úteis, para ser mais preciso".

A banca acabou por aderir a este programa para facilitar a operacionalização, sendo que os principais bancos portugueses já garantiram a participação (a lista, que vai sendo atualizada, está disponível no Portal). Desta forma, o pagamento é feito de forma normal e o reembolso depois efetuado pelo banco no espaço de dois dias úteis, na conta bancária utilizada. Para além da compra, o secretário de Estado colou também, na montra desta livraria, o selo que identifica que este espaço aderiu ao programa.

A Bertrand é assim um dos grupos que escolheu participar neste programa, contando com 60 lojas espalhadas pelo país. São mais de 4.500 os comerciantes que se inscreveram no IVAucher, um número que o Governo tem a expectativa de que aumente nos próximos dias. Como é o caso da editora, estes comerciantes representam por vezes vários estabelecimentos, o que acontece também com cadeias hoteleiras e plataformas digitais como a Uber Eats.

Saindo da livraria, Mendonça Mendes segue, acompanhado de mais dois secretários de Estado, para a próxima paragem. É a bilheteira do Centro Cultural de Belém, onde cabe à secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural colocar o autocolante IVAucher. Neste local, Ângela Ferreira escolheu comprar dois bilhetes para o concerto de Jorge Palma, em novembro.

Lançamento do selo Ivaucher no CCB - 01OUT21

A última "colagem" da manhã fica a cargo do secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, na Padaria da Esquina, onde se encontram já várias pessoas a tomar o café. João Torres compra o pequeno-almoço para o grupo, que entre queijadas e cafés discute a nova fase do programa que arranca esta sexta-feira.

Com este passeio, os secretários de Estado tinham como objetivo também divulgar o programa, que está a passar despercebido em alguns setores. Tanto do lado dos comerciantes, onde a maioria se inscreveu nos últimos dois dias, como dos consumidores. Aderiram ao IVAucher mais de meio milhão de portugueses, segundo sublinha Mendonça Mendes, sendo que é possível fazer o registo até ao último dia do programa (28 de dezembro).

Questionando as pessoas no local se já tinham aderido ao programa, as respostas foram mistas. Quem não o fez, usa como justificação deixar as coisas até à última, mas há também quem note que não sabe o saldo que conseguiu acumular e, portanto, se valerá a pena aderir. Este saldo pode ser consultado na aplicação e-fatura ou no Portal das Finanças, sendo que o secretário de Estado adiantou também que deverá ficar disponível nos próximos dias a app IVAucher, onde será possível ver o saldo e também os movimentos realizados no âmbito do programa.

O montante total que será devolvido no IVAucher é de 82 milhões de euros, o valor que foi acumulado nas compras na restauração, alojamento e cultura durante os meses de junho, julho e agosto. Este valor ficou abaixo da dotação orçamental que o Governo tinha previsto, de 200 milhões de euros, mas as Finanças preferem sublinhar o sucesso do programa com o aumento da receita de IVA, que será restituído, que se verificou neste período.

Lançamento do selo Ivaucher no CCB - 01OUT21

Mendonça Mendes destacou também que se estes 82 milhões forem todos gastos, tal representa uma injeção de cerca de 160 milhões de euros na economia. Isto já que a lógica do programa é de comparticipação numa outra despesa, sendo que o desconto obtido através deste programa pode ser de no máximo 50% do valor do consumo.

A volta dos secretários de Estado contou com algumas das possibilidades para os consumidores obterem descontos, mas há mais. Na cultura, estão incluídos espaços como livrarias, mas também cinemas, teatros e outras salas de espetáculo, bem como museus e lojas de discos. Bares e discotecas, que voltaram a abrir agora, estão também abrangidos pelo programa, assim como os restaurantes e cafés. Finalmente, no alojamento, contemplam-se as várias tipologias de espaços como pensões e pousadas.

É preciso é verificar se os locais estão abrangidos. O secretário de Estado aconselha a procura do selo, mas admite também a possibilidade de uma georreferenciação dos locais incluídos, algo que "não está ainda fechado", já que os comerciantes se podem inscrever ao longo de todo o período e é necessária uma atualização permanente.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos