Francisco de Lacerda: “Não faria sentido pôr os carteiros a protestar contra o e-mail”

Em rescaldo da manifestação dos taxistas, o presidente executivo dos CTT comparou o setor postal com o dos transportes. "Não faria sentido pôr os carteiros a protestar contra o e-mail", disse.

Francisco de Lacerda, presidente executivo dos CTT, disse esta terça-feira que, perante o atual cenário de transformação digital, “não faria sentido pôr os carteiros no Terreiro do Paço a protestar contra o e-mail”. O líder da empresa explicou que “as cartas estão sujeitas a normas regulatórias a que o e-mail não está”, acrescentando que “há similitudes em tudo na vida”.

Estas declarações surgem no rescaldo da manifestação dos taxistas desta segunda-feira e devem ser vistas à luz dos protestos contra as plataformas digitais Uber e Cabify. O setor postal tem sido afetado pelas novas tecnologias, sobretudo o correio eletrónico que tem vindo a substituir o envio de correio tradicional. Mais tarde, Francisco de Lacerda ainda deixou um aviso: “Mudem, antes que sejam obrigados a fazê-lo”, rematou no final da intervenção.

Apesar de o tráfego postal ter, em termos homólogos, aumentado 0,5% no segundo trimestre do ano, a atividade é sazonal e sofreu uma queda de 4,7% em relação ao primeiro trimestre. Num relatório publicado em meados de setembro, a Anacom lembrou mesmo que o tráfego postal tende a diminuir de ano para ano graças à “crescente substituição dos envios postais por comunicações eletrónicas”.

Assim, o core business dos CTT está a perder terreno, mas a empresa têm vindo a reestruturar a sua atividade, com apostas no setor da banca e, em breve, no mercado do correio publicitário, “do ponto de vista de passar a mensagem aos consumidores”, explicou Francisco de Lacerda. Haverá um “novo modelo de relacionamento com as agências”, rebranding e a criação de uma “plataforma online para PMEs [Pequenas e Médias Empresas]”, onde estas poderão criar campanhas com a possibilidade de targeting graças a “dados geográficos” que os CTT têm.

O presidente executivo dos CTT falava num painel integrado no Portugal Digital Summit, uma iniciativa da Associação da Economia Digital (ACEPI) que está a decorrer na Fundação Champalimaud esta terça e quarta-feira.

dav
Francisco de Lacerda falava no painel “As Redes de Comunicação do Futuro“.Flávio Nunes/ECO

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Francisco de Lacerda: “Não faria sentido pôr os carteiros a protestar contra o e-mail”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião