BCE deve prolongar programa de estímulos

  • Leonor Rodrigues
  • 17 Outubro 2016

Os analistas preveem que Mario Draghi anuncie o prolongamento do programa de estímulos no final do ano.

Mario Draghi não vai conseguir atingir a meta de inflação que pretende. Por esse motivo, os economistas consultados pela Bloomberg acreditam que o presidente do Banco Central Europeu (BCE) vai ter de manter o programa de estímulos por mais tempo do que o previsto. O anúncio do prolongamento deverá acontecer no final do ano.

Para os economistas, os esforços do presidente do BCE não têm tido os resultados esperados. É muito pouco provável que o programa de compra de dívida leve a inflação a superar 1,5% no segundo trimestre de 2017, altura em que deveria chegar ao fim o programa. 78% dos analistas preveem que o BCE anuncie a extensão do programa: 9 em 10 afirmam que esse anúncio será feito em dezembro.

“O Banco Central tem de pensar por quanto tempo o programa de estímulos deve e pode durar e é muito importante que Draghi seja flexível”, afirma Maxime Sbaihi, especialista da Bloomberg Intelligence. Já o diretor de economia para a Europa do Barclays, Philippe Gudin, diz que “dado o efeito negativo nos bancos, o BCE não deve cortar ainda mais as taxas”, e reafirma que é muito provável a extensão do programa.

A maioria dos economistas que participou no estudo prevê que o abrandamento da compra de ativos começará apenas no segundo semestre do próximo ano. E que o BCE só deve encolher o programa de compra de dívida depois de três meses consecutivos com a inflação nos 1,5%.

O Banco Central tem de pensar por quanto tempo o programa de estímulos deve e pode durar e é muito importante que Draghi seja flexível.

Maxime Sbaihi

Especialista da Bloomberg Intelligence

E atingir essa meta não vai ser fácil: num outro inquérito da Bloomberg, os economistas preveem a inflação na Zona Euro nos 1,3% em março de 2018. HolgerSandte, economista da NordeaMarkets, afirma que as opções são manter o programa sem limite de tempo ou cessá-lo imediatamente, sublinhando que “ambos os cenários são irrealistas”.

Em outubro, Mario Draghi afirmou que o programa era flexível o suficiente para permitir atingir o objetivo e contribuir para um ajustamento da inflação abaixo dos 2%, um valor que o BCE não atinge há três anos. O próprio presidente do BCE admitiu que só dentro de ano e meio a dois anos será possível atingir a meta pretendida.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCE deve prolongar programa de estímulos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião