Lucro dos CTT cai 9% para 46 milhões até setembro

Sem o banco postal, Correios teriam registado subida dos resultados em mais de 10%. Administração mantém dividendo 0,48 euros.

Os CTT registaram uma diminuição do lucro em 9,1% até aos 46 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano. O desempenho foi afetado pelo banco postal. Excluindo o Banco CTT, o lucro foi de 62,5 milhões de euros, mais 11,1% face ao mesmo período do ano passado.

No reporte de contas consolidadas enviado ao mercado, os CTT reafirmam ainda da intenção da administração liderada por Francisco Lacerda de propor “aos acionistas o pagamento de um dividendo de 48 cêntimos por ação (um crescimento de 2,1% face a 2015) relativo ao exercício de 2016, a pagar em 2017, consistente com a sua política de dividendos”.

A empresa de serviço e banco postal assume que “o desenvolvimento do Banco CTT terá um impacto negativo nos resultados dos CTT nos primeiros anos de atividade. Contudo, dada a elevada liquidez do balanço dos CTT e a capacidade de gerar cash flow, não se estima que esse impacto se venha a refletir na capacidade de pagar um dividendo de acordo com a política definida”.

"O desenvolvimento do Banco CTT terá um impacto negativo nos resultados dos CTT nos primeiros anos de atividade. Contudo, dada a elevada liquidez do balanço dos CTT e a capacidade de gerar cash flow, não se estima que esse impacto se venha a refletir na capacidade de pagar um dividendo de acordo com a política definida.”

CTT

CMVM

Nos primeiros três trimestres, os CTT viram as suas receitas caírem 3,6% até aos 518,8 milhões de euros, com o EBITDA — lucro antes de impostos, depreciações e amortizações — a recuar quase 15% para 85,9 milhões de euros. Sem contar com o banco postal, o EBITDA teria cedido 2,5% para 102,4 milhões de euros.

Em relação ao Banco CTT, de resto, apresentou receitas de 271 mil de euros e gastos de 18,8 milhões de euros, o que contribuiu para um EBITDA negativo em 18,5 milhões de euros, “genericamente em linha com o que estava previsto.

Quanto à força de trabalho, os CTT tinham 12.324 trabalhadores no final de setembro, o que corresponde a um aumento de 0,7% face ao mesmo período do ano passado. “Verificou-se uma redução de 71 efetivos do quadro e um aumento de 123 contratados a termo”, diz a empresa.

As ações dos CTT recuam mais de 30% este ano, cotando nos 6,105 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucro dos CTT cai 9% para 46 milhões até setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião