China puxa por Wall Street

Os bons indicadores revelados na China permitiram um arranque positivo às bolsas dos EUA. Estão a sobrepor-se aos receios em torno do resultado da reunião da Fed.

As bolsas norte-americanas arrancaram a sessão em terreno positivo. Estão a valorizar, animadas pela divulgação de indicadores macroeconómicos positivos por parte da segunda maior economia do mundo, a da China.

O S&P 500 abriu a sessão a ganhar 0,15%, já o Dow Jones somava 0,18%. O Nasdaq, o índice tecnológico norte-americano, estava a ganhar 0,21%. Arrancaram, assim, os três no verde na primeira sessão de novembro.

A China revelou que a produção industrial do país registou um forte crescimento em outubro. O indicador cresceu ao ritmo mais elevado em dois anos, aliviando os receios dos investidores quanto ao ritmo de crescimento da economia mundial.

Ao mesmo tempo, com o petróleo a valorizar, as bolsas norte-americanas estão a beneficiar da valorização dos títulos do setor petrolífero. Isto acontece no dia em que houve uma explosão num dos oleodutos mais importantes nos EUA, interrompendo o fornecimento de combustíveis.

Estes fatores estão a permitir ganhos nas bolsas, retirando, para já, o foco dos investidores da reunião da Fed. A decisão sobre a taxa de juro será revelada esta quarta-feira, não sendo expectável uma subida mas antes um sinal claro de que a taxa de referência vai ser revista em alta na reunião de dezembro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

China puxa por Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião