Lucros da Sonae Capital sobem para 13,2 milhões

  • Lusa
  • 4 Novembro 2016

A Sonae Capital teve lucros de 13,2 milhões de euros nos primeiros novos meses deste ano, mais 10,15 milhões do que no mesmo período do ano anterior.

Este aumento dos lucros superior a 10 milhões de euros da Sonae Capital ficou a dever-se à “‘performance’ ao nível dos resultados de investimentos, no seguimento da mais-valia associada à venda das participadas Norscut e Operscut”, segundo informou esta sexta-feira a empresa à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Entre janeiro e setembro, a Sonae Capital aumentou o volume de negócios consolidado em 6%, atingindo os 125,16 milhões de euros, “com a generalidade dos negócios a apresentarem crescimentos de dois dígitos face ao período homólogo”, apesar do decréscimo nos segmentos da energia e no dos ‘resorts’.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) consolidado ascendeu a 13,63 milhões de euros, uma queda de 33,8% face aos primeiros noves meses do ano passado. A Sonae Capital destaca “o contributo da venda de ativos imobiliários, durante o segundo trimestre de 2015, nomeadamente a mais-valia gerada pela alienação do ativo imobiliário Duque de Loulé”.

A dívida líquida consolidada registou uma diminuição de 42,8 milhões de euros até setembro comparando com o final de 2015, cifrando-se nos 106,4 milhões de euros. Esta evolução já considera a distribuição de dividendos que ocorreu no segundo trimestre de 2016.

A Sonae Capital indica que o seu desempenho financeiro e operacional “revela a dinâmica positiva do grupo ao nível do volume de negócios e da respetiva rentabilidade, não obstante, a evolução negativa – já esperada – no segmento de Energia, e o abrandamento das vendas de imobiliário turístico em Troia”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros da Sonae Capital sobem para 13,2 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião