Cuidado com a espionagem económica, alerta o SIS

  • ECO
  • 7 Novembro 2016

O Serviço de Informações de Segurança alertou seis vezes mais empresas sobre a espionagem económica este ano em comparação com o mesmo período de 2015. O SIS dá "prioridade máxima" a esta questão.

O Serviço de Informações de Segurança (SIS) reforçou este ano as ações de prevenção contra a espionagem económica em todo o país. Segundo dados divulgados pela primeira vez, este reforço foi feito junto de mais de 200 empresas e entidades públicas, um número que é seis vezes superior ao que foi registado no mesmo período de 2015.

Dados oficiais, avançados pelo Diário de Notícias, mostram que entre janeiro e junho mais empresas, entidades públicas e centros de investigação nacionais receberam conselhos de segurança das secretas. Foram mais concretamente 207 entidades. O SIS dá “prioridade máxima” ao apoio a este centros de conhecimento, a par da prevenção do terrorismo nas infraestruturas de relevo.

O SIS diz que há cada vez mais atos de espionagem com “roubo de informação de valor económico nas empresas e nos centros de investigação científica e tecnológica”. O serviço alerta ainda que “no atual contexto de concorrência económica mundial, as organizações portuguesas, mesmo as de pequena dimensão, são visadas por entidades estrangeiras”. Mas Portugal não é dos países onde se registam mais ato de espionagem e roubo de conhecimentos. Não são identificados países em concreto, mas o DN apurou que França, China e Rússia têm sido dos mais ativos.

Segundo o jornal, as equipas do designado Programa de Segurança Económica, ativo desde 2006 e agora reforçado, reuniram neste primeiro semestre com cerca de meio milhar de gestores e colaboradores desta organizações. Foram alvo de ações de sensibilização e formação para protegerem os conhecimentos contra uma ameaça do estrangeiro que o SIS considera estar em crescendo.

Entre as entidades identificadas, o setor privado empresarial foi alvo do maior número de ações do SIS. O setor é o “objetivo prioritário” do Programa de Segurança Económica e visa sobretudo empresas com “forte componente de investigação e desenvolvimento industrial”. Ao todo, foram alertadas 184 empresas privadas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Cuidado com a espionagem económica, alerta o SIS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião