Lisboa quis enfrentar Trump. Mas deu erro

Costuma dizer-se que 'depressa e bem não há quem'. Será?

Se quarta-feira Lisboa amanheceu com uma notícia de vitória de Trump, na quinta as redes incendiaram-se com uma resposta aos resultados eleitorais nos Estados Unidos. Com imagens do vídeo de Lisboa como Lisbon’s Creative Ecosystem, encomendado pela Invest Lisboa, feito por Vhils e apresentado no primeiro dia de Web Summit, a Câmara Municipal decidiu criar uma resposta à altura dos resultados presidenciais norte-americanos — e à ideia de Trump de construir um muro que impeça o acesso de estrangeiros aos Estados Unidos — e apresentar a cidade como uma alternativa para empresas que não queiram fixar-se no país, na sequência da escolha do novo Presidente.

“Num mundo de muros, somos com orgulho uma cidade aberta, tolerante e inclusiva”, escreveu Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, na sua página de Facebook.

A ideia até poderia ser aplaudida por alguns, não fosse o cartaz que o acompanha ter um erro ortográfico: na frase pode ler-se “brigdes” em vez de “bridges” (pontes em inglês).

Cartaz Lisboa

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa quis enfrentar Trump. Mas deu erro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião