O regresso da calma aos mercados financeiros

  • Rita Atalaia
  • 10 Novembro 2016

Depois do choque inicial à vitória de Donald Trump, a calma regressou aos mercados financeiros. As ações estão a subir, o petróleo está a registar ganhos e o dólar aprecia contra o iene.

As ações estão a subir, o petróleo está a registar ganhos e o dólar recupera contra o iene. Depois do choque inicial à vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA, a calma regressou aos mercados financeiros. Fica por saber se a tendência vai durar.

A vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas atirou os mercados para o vermelho. As bolsas europeias abriram a cair mais de 1% — no PSI-20 a quebra foi de 3% –, o ouro tocou máximos desde o Brexit e o petróleo recuou. Para além disso, o dólar registou uma quebra de 3% face ao iene. Hoje o cenário é bem diferente. O Stoxx 600 está a subir 1% e a praça lisboeta ganha 0,5%. Para não falar da Ásia, que teve a oportunidade de recuperar nesta sessão. O índice japonês Nikkei encerrou em alta de quase 7%, o maior ganho percentual desde fevereiro.

Stoxx 600 está a subir 1%

Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg

Nas commodities, o ouro já abandonou os máximos e o petróleo está em território positivo. O Brent, negociado em Londres, está a subir 0,6% para 46,64 dólares por barril. O WTI, negociado em Nova Iorque, segue com poucas alterações nos 45,27 dólares.

Ouro abandona máximo, mas segue a subir

 

Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg

 

Brent sobe ligeiramente (0,6%)

Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg

E, no mercado cambial, o dólar sobe 0,1% para 105,77 contra o iene. Até o peso mexicano, que chegou a afundar 13% contra a moeda norte-americana, está a valorizar. “Uma presidência de Trump é positiva para o dólar porque as suas políticas económicas vão forçar a Reserva Federal dos EUA a subir as taxas de juro a um ritmo mais célere”, nota Elias Haddad, um estratega cambial do Commonwealth Bank of Australia. A subida das taxas de juro torna o dólar mais atrativo para os investidores à procura de retornos.

Peso mexicano recupera de queda de 13%

Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg

Esta recuperação mostra como o sentimento dos investidores mudou drasticamente desde a vitória inesperada de Trump. Este resultado provocou inicialmente uma venda generalizada das ações e uma fuga para os ativos considerados seguros, como é o caso das obrigações soberanas dos EUA e o iene. Embora seja normal um aumento da volatilidade nos mercados acionistas depois das eleições dos EUA, os movimentos iniciais não costumam durar muito tempo. E isto também foi o que aconteceu quando o Reino Unido decidiu sair da União Europeia.

Promessas de Trump acalmam receios

Esta recuperação acabou por ser possível graças às promessas do novo Presidente dos EUA. Donald Trump diz que vai gastar mais de 500 mil milhões de dólares para reconstruir as infraestruturas nos EUA e também prometeu baixar os impostos. “Haverá volatilidade depois da vitória de Trump. Mas isto será temporário, assim como aconteceu no Brexit”, diz Joshua Crabb, responsável da Old Mutual. “Este resultado tão é tão mau quanto as pessoas acham. Haverá um corte dos impostos e estímulo orçamental. Isso será bom para os resultados das empresas e será positivo para as ações”, explica.

Por outro lado, há quem não saiba muito bem o que esperar. Hao Hong, economista-chefe da Bocom Internacional Holdings, diz que é “difícil fazer apostas, uma vez que ninguém sabe muito bem o que é que Trump fará”. O economista diz que as “apostas relativamente certas incluem projetos de infraestruturas, gastos na defesa e políticas comerciais pouco favoráveis” para o país.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O regresso da calma aos mercados financeiros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião