Memorando interno sugere que May não tem plano para o Brexit

  • Marta Santos Silva
  • 15 Novembro 2016

O Governo britânico diz que a nota não representa a realidade, mas a oposição já reage: "Está na hora de a primeira-ministra deixar de ser desorientada pelos seus ministros em guerra".

Um memorando interno obtido pelo jornal britânico The Times parece revelar que o Governo de Theresa May não tem plano para o Brexit e tem centenas de projetos a decorrer e uma carência de milhares de novos funcionários para dar conta do trabalho. O Executivo já rejeitou conhecer o memorando divulgado pelo The Times, mas as reações da oposição não se fizeram esperar.

A nota divulgada pelo jornal The Times indica que há “divisões entre os ministros” acerca das estratégias a adotar relativamente ao Brexit, e avisa que os gabinetes dos ministros vão precisar de mais 30 mil funcionários para conseguir gerir os 500 projetos que estão em marcha relativamente à saída do Reino Unido da União Europeia.

O que o The Times identifica como um memorando interno do Governo também diz que a estratégia de Theresa May de “puxar as decisões para si e decidir os assuntos ela própria” não era sustentável, e que existe uma disputa profunda entre os ministros acerca da melhor estratégia para o Brexit.

Ao The Guardian, um porta-voz do Governo disse que o documento era uma oferta não solicitada de um consultor da Deloitte. “Não é um relatório do Governo e não reconhecemos as declarações feitas nele”, afirmou a fonte. Também o ministro dos Transportes, Chris Grayling, disse à BBC não reconhecer o documento e afirmou: “O processo é complexo, mas não é de todo o desafio que foi descrito na notícia de hoje”.

O líder do partido da oposição Liberal Democrats, Tim Farron, disse que a primeira-ministra tem de “deixar de ser desorientada pelos seus ministros em guerra, caso contrário o Governo dirige-se para o pior resultado possível: um Brexit destrutivo e irresponsável que vai fazer mal à economia e aos empregos britânicos”.

Já do lado do principal partido da esquerda, o Partido Trabalhista, o shadow chancellor John McDonnell vai dizer esta tarde que o Executivo de May, com a sua estratégia “desorganizada” para o Brexit, não está a preparar devidamente o Reino Unido para a saída da União Europeia. Segundo avança a BBC, McDonnell vai afirmar em declarações aos jornalistas que o partido não vai tentar bloquear ou atrasar o princípio das negociações, com a ativação do Artigo 50 do Tratado de Lisboa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Memorando interno sugere que May não tem plano para o Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião