Energia anima PSI-20. CTT em queda livre

  • Rita Atalaia
  • 17 Novembro 2016

A sessão foi volátil, mas a bolsa nacional acabou por acabar no verde. Assim como o resto da Europa. A energia animou o PSI-20 e contrastou com os CTT. A empresa de serviços postais afundou 5%.

O dia não começou muito bem para a praça portuguesa. Assim como para o resto da Europa. Mas uma inversão da tendência a meio da sessão permitiu que encerrasse no verde. O PSI-20 foi animado pelo setor energético, mas os CTT caíram a pique. A empresa de serviços postais cedeu mais de 5%.

O índice nacional encerrou em alta de 0,5% para 4.414,98 pontos, recuperando das perdas iniciais e beneficiando da subida na Europa. O avanço do Stoxx 600 fez inicialmente uma pausa, mas voltou a ganhar fôlego.

Por cá, a pressão exercida pela descida da Jerónimo Martins e da Nos acabou por ser ofuscada pela valorização do setor energético. A Galp Energia foi a cotada que mais contribuiu para este ganho. A empresa avançou 3,8% para 12,45 euros, em linha com a recuperação dos preços do petróleo.

Mas os louros não são apenas da petrolífera. O grupo EDP também brilhou numa sessão marcada pela volatilidade. A EDP subiu mais de 2%, enquanto a EDP Renováveis acelerou 1,2% Estas duas cotadas continuam a recuperar das perdas acentuadas registadas após a eleição de Donald Trump. A incerteza em torno das políticas energéticas arrastou o setor para o vermelho.

Os CTT registaram uma queda de mais de 5% para 5,83, um mínimo desde agosto. O volume de negociação triplicou depois de se ficar a saber que o Governo vai notificar os cidadãos através de correio eletrónico e não de cartas para obter impostos referentes a 2012. As cartas poderiam impulsionar as receitas dos CTT, uma vez que “as notificações fiscais têm de ser enviadas por correio registado”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Energia anima PSI-20. CTT em queda livre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião