Parceiros sociais discutem salário mínimo na quinta-feira

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 22 Novembro 2016

Governo também vai apresentar a versão preliminar do Livro Verde das Relações Laborais.

Os parceiros sociais voltam à concertação social na quinta-feira, com o salário mínimo na agenda. O encontro que estava agendado para dia 10 foi cancelado e, entretanto, o Presidente da República recebeu as confederações patronais e sindicais para discutir a necessidade de um acordo que também inclua esta matéria.

O aumento do salário mínimo continua a gerar divergências entre parceiros. O programa do Governo aponta para 557 euros em 2017, o que implica uma subida de 27 euros face ao valor atual. Mas alguns patrões já defenderam que a remuneração mínima não deve ultrapassar os 540 euros no próximo ano. A UGT abre a porta a um valor abaixo dos 557 euros, porém, a CGTP entende que este tem de ser o montante base para a discussão, reivindicando uma subida para 600 euros.

Já esta semana, o PS assumiu o compromisso de aumentar o salário mínimo para 557 euros em janeiro, conforme noticiaram vários meios de comunicação social. “O que vale é o que o senhor primeiro-ministro disse”, avançou o líder parlamentar do PS, Carlos César. Antes, o Primeiro-ministro tinha indicado, no Twitter, que o programa do Governo será cumprido nesta matéria, reagindo assim a uma notícia do Expresso que punha em causa este objetivo.

Ainda antes da discussão em torno do salário mínimo, o Governo vai apresentar a versão preliminar do Livro Verde das Relações Laborais, um diagnóstico sobre o mercado de trabalho elaborado há dez anos que o Governo prometeu atualizar.

Comentários ({{ total }})

Parceiros sociais discutem salário mínimo na quinta-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião