Brexit: Escócia ameaça sair do Reino Unido

A Inglaterra tem mais um problema em mãos: a Escócia votou para ficar na UE, mas vai ter de sair. Agora ameaça sair do Reino Unido se não estiver garantido o acesso ao mercado único europeu.

A primeira-ministra escocesa Nicola Sturgeon quer que o país fique no mercado único europeu. Se o Reino Unido sair da União Europeia e não conseguir negociar esse acesso, então a Escócia optará por um novo referendo sobre a separação do Reino Unido, avança a Bloomberg. No início deste mês, o secretário de Estado responsável pelo Brexit garantiu que a manutenção no mercado único corresponde à vontade do Governo inglês.

Nicola Sturgeon e Jean-Claude Juncker.
Nicola Sturgeon e Jean-Claude Juncker.© European Union , 2016 / EC - Audiovisual Service / Fotografia: Etienne Ansotte

A pressão passa assim para o lado de Theresa May, a primeira-ministra inglesa, que já prometeu iniciar o processo de saída no início de 2017. Do seu lado, Sturgeon tem o facto de os eleitores escoceses terem escolhido ficar na União Europeia no referendo de junho, o chamado Brexit. A primeira-ministra da Escócia diz que May tem duas hipóteses: mostra “boa vontade” ou enfrentará um novo referendo para a independência.

Continua a ser a minha visão, e do Governo que eu lidero, que a melhor opção para a Escócia é a adesão plena à União Europeia como um Estado-membro independente.

Nicola Sturgeon

Primeira-ministra escocesa

Num artigo publicado este domingo no Financial Times, Nicola Sturgeon afirmou que uma possível desintegração do Reino Unido com a saída da Escócia continua a ser uma opção para “salvaguardar o status europeu” dos escoceses. “Continua a ser a minha visão, e do Governo que eu lidero, que a melhor opção para a Escócia é a adesão plena à União Europeia como um Estado-membro independente”, referiu a primeira-ministra escocesa.

Sturgeon quer que todo o Reino Unido continua a fazer parte do mercado único, sem tarifas adicionais para o comércio entre países e com a liberdade para os bancos movimentarem-se no bloco dos 28 Estados-membros. Em perigo, garante a primeira-ministra escocesa, estão 80 mil postos de trabalho que seriam eliminados caso a Escócia abandone o mercado único.

O ultimato da Escócia é outro fator de pressão para o Governo londrino que já querer negociar primeiro com os escoceses, a Irlanda e o País de Gales antes de travar negociações na Europa.

Editado por Paulo Moutinho

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit: Escócia ameaça sair do Reino Unido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião