Escalões atualizados em 0,8%. Veja aqui as tabelas

Os escalões de retenção na fonte do IRS vão ser atualizados em 0,8%. Já as tabelas da sobretaxa de IRS serão atualizadas em 1,305%.

Foi anunciado esta quinta-feira que as tabelas de retenção para 2017 já foram assinadas e enviadas para publicação em Diário da República. As tabelas de retenção na fonte do IRS vão ser atualizadas em 0,8%. “As tabelas foram atualizadas em função da inflação registada em 0,8%”, afirmou o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, esta sexta-feira, em declarações à TSF.

Os escalões de retenção na fonte do IRS vão ser atualizados em 0,8%: “Todos os escalões da retenção na fonte foram atualizados em 0,8% (inflação registada)”, esclareceu o gabinete do Ministério das Finanças ao ECO. Consulte aqui as novas tabelas ou carregue na imagem:

retencao

Já as tabelas da sobretaxa de IRS serão atualizadas em 1,305%. “Tendo já sido determinada em dezembro pelo Governo a extinção da retenção na fonte da sobretaxa a 1 de janeiro para o segundo escalão dos rendimentos, os restantes escalões foram atualizados em 1,3%”.
sobretaxa

Esta publicação no início de janeiro implicou que alguns salários de janeiro tivessem como referência as tabelas de retenção na fonte do IRS estabelecidas para 2016. Segundo informações dadas pelas Finanças à Lusa, os acertos vão ser feitos logo em fevereiro.

Ou seja, algumas empresas vão processar os salários de janeiro com base nas tabelas de retenção na fonte do ano passado e, nestes casos, fazem os acertos necessários quando pagarem os vencimentos de fevereiro.

“Nas situações em que o processamento dos rendimentos foi efetuado em data anterior à da entrada em vigor das novas tabelas de retenção na fonte de IRS e o pagamento ou a colocação à disposição venha a ocorrer já na sua vigência, no decurso do mês de janeiro, devem as entidades devedoras ou pagadoras proceder, até final do mês de fevereiro de 2017, aos acertos decorrentes da aplicação àqueles rendimentos das novas tabelas de 2017, efetuando, em simultâneo, os acertos respeitantes à retenção na fonte da sobretaxa em sede de IRS efetuada em janeiro de 2017″, esclarece o despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

A tutela indica ainda que, “para permitir que não seja cobrada sobretaxa ao segundo escalão“, o ministro das Finanças assinou um despacho no final de dezembro de 2016 que garante “a adaptação dos sistemas em tempo útil para estes casos”.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

(Atualizado às 13h22 com informações prestada pelo Ministério das Finanças)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Escalões atualizados em 0,8%. Veja aqui as tabelas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião