SIC chega a acordo com a Meo para redução do custo de distribuição na TDT

Depois da TVI, a SIC acaba de chegar a um acordo com a Meo para reduzir o preço pago à operadora para distribuição do canal na TDT. Desconhecem-se os valores das reduções alcançadas.

A SIC já chegou a acordo com a Meo, da PT Portugal, sobre a redução do preço pago no contrato de distribuição do seu sinal através da Televisão Digital Terrestre (TDT), disse hoje fonte oficial à Lusa. Em janeiro, a TVI chegou a acordo com a PT sobre o mesmo assunto.

Questionada pela Lusa, “a SIC confirma que chegou a acordo com a PT para a redução do preço pago no contrato de distribuição do seu sinal” através da TDT, disse a fonte oficial da estação de televisão de Carnaxide. “A SIC congratula-se com o acordo que foi possível alcançar”, adiantou a mesma fonte.

“Tendo em conta as alterações no espaço ocupado por cada operador na TDT, foi possível fazer refletir nos preços praticados no âmbito do contrato TDT os ganhos de eficiência que resultaram da otimização do espetro utilizado”, acrescentou ao ECO fonte oficial da PT Portugal.

É a Meo quem gere o serviço de TDT em Portugal. Esta negociação dos preços, levada a cabo pelos canais privados, surgiu depois de a RTP ter incluído os canais RTP 3 e RTP Memória na plataforma, subindo para sete o número de canais free-to-air no país.

Na altura, a administração da estação pública terá conseguido uma redução no preço pago à operadora e que despertou, desde logo, o interesse dos canais privados. Desconhecem-se os valores dos cortes nos preços conseguida pela TVI e pela SIC.

Atualizado às 16h58 com declarações de fonte oficial da PT Portugal.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

SIC chega a acordo com a Meo para redução do custo de distribuição na TDT

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião