Bolsa francesa dispara 4% depois das eleições

As praças europeias abriram em alta esta segunda-feira, no rescaldo das eleições em França. Índice francês está em máximos desde 2015 e o vento também sopra favorável ao português PSI-20.

O vento sopra favorável aos mercados na manhã desta segunda-feira. No rescaldo da noite eleitoral em França, as bolsas europeias avançam a todo o gás, perante a passagem à segunda volta dos candidatos Emmanuel Macron e Marine Le Pen. Uma dessas praças é a portuguesa, que arrancou a disparar cerca de 1,5%.

A generalidade das cotadas nacionais no PSI-20 abriu em terreno positivo, com o BCP a liderar os ganhos. Às oito em ponto, as ações do banco somavam 3,15% em relação à sessão de sexta-feira, com os títulos a valerem 0,19 euros. A dar energia ao índice está também a Galp, com ganhos de 1,59% na abertura da sessão e as ações a valerem 14,40 euros. Destaque ainda para a EDP, que valoriza 2% para 3,11 euros.

Na Europa é mesmo o índice francês o que mais ganhos está a registar. O índice CAC-40 abriu a valorizar 4,10% para máximos desde junho de 2015. Além disso, como o ECO também já noticiou, as yield do Tesouro a dez anos aliviam para mínimos de três meses, tidas como referência ao nível europeu. A queda mostra que os investidores estão a reagir bem ao resultado desta primeira volta das presidenciais.

De referir que o Stoxx 600 segue a valorizar 1,20%, o IBEX-35 (Espanha) avança 3,20%, o FTSE (Inglaterra) soma 1,48% e o FTSE MIB (Itália) ganha 2,30%. O dia nos mercados está a ficar sobejamente marcado pela reação (claramente positiva) ao resultado das eleições em França. Mas recorde-se que, esta segunda-feira, em Portugal, é dia de assembleia-geral extraordinária do Montepio e há estatísticas importantes para conhecer.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bolsa francesa dispara 4% depois das eleições

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião