BE e PCP: tecnologia usada no IRS online aumenta insegurança

  • ECO
  • 1 Junho 2017

Segundo especialistas em cibersegurança, usar um plug-in do java contraria o modelo de segurança da internet. BE e PCP querem que Governo explique a dependência do IRS online a esse software.

O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português duvidam da segurança da tecnologia usada no IRS online. Segundo o Expresso Diário (acesso pago) desta quinta-feira, tanto o site como a aplicação da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) para os contribuintes entregarem o IRS na internet estão dependentes do software java. Esta dependência é vista com desconfiança pelos parceiros à esquerda da geringonça: em causa está a recomendação do Fisco para instalar versões anteriores de browsers e plug-ins, o que aumenta a insegurança, segundo especialistas em cibersegurança.

A questão levantada por BE e PCP é comum: porque é que o IRS online se mantém dependente do Java? A resposta terá de ser o Governo a dar, neste caso o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, que irá receber em breve um requerimento do Partido Comunista, assim como do BE.

Os bloquistas admitem levar o problema à Assembleia da República para discutir o tema. Em declarações ao Expresso, o líder parlamentar do Bloco, Pedro Filipe Soares, argumenta que “a partir do momento em que se diz que os contribuintes têm de usar browsers antigos, já não se está a respeitar a interoperabilidade ou a própria lei das Normas Abertas”.

Segundo o PCP, o software detido pela norte-americana Oracle é vulnerável e apresenta riscos de segurança. O java já não é usado pelas três maiores browsers — Google Chrome, Internet Explorer ou Microsoft Edge e Mozilla –, não sendo por isso compatíveis com sites como o do IRS online. Uma das alternativas é usar um plug-in.

Nesse caso, o diretor de Auditoria Informática da S21Sec, Luís Grangeia, afirmou ao Expresso que “a partir do momento em que um internauta usa uma applet java para aceder a um site, o site em causa passa a poder fazer quase tudo o que quiser do computador“. Grangeia considera que instalar plug-ins de java num browser “contraria o modelo de segurança da internet e cria uma série de problemas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BE e PCP: tecnologia usada no IRS online aumenta insegurança

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião