Revista de imprensa internacional

As relações entre os EUA e a Rússia continuam na atualidade com o foco a estar sobre os hackers. Trump e Putin encontram-se na próxima semana. Já a Ucrânia voltou a ser alvo de um ataque informático.

O mais esperado encontro vai acontecer: Donald Trump e Vladimir Putin vão encontrar-se na próxima semana. O foco nas relações entre EUA e Rússia passa novamente pelos hackers e o envolvimento dos republicanos na fuga dos emails de Clinton. Cada vez mais recorrentes são os ataques informáticos. Depois do grande ataque registado em maio, os hackers voltaram à carga com um ataque de ransomware que os fez faturar 10 mil euros. Esta quinta-feira a empresa estatal de energia da Ucrânia voltou a ser atacada com um vírus semelhante ao de maio, o WannaCry.

Reuters

Empresa ucraniana diz ter sido alvo de novo ataque informático

O ataque de ransomware registado esta terça-feira alastrou-se a Portugal e Espanha, mas fez mais estragos na Ucrânia e Rússia. Dois dias depois, a empresa estatal ucraniana Ukrenergo, responsável por abastecer as casas com energia, foi alvo de um novo ataque informático. Neste ataque terá sido usado um vírus diferente daquele que entrou nos dispositivos tecnológicas na terça-feira, tendo sido similar ao WannaCry, o vírus que afetou várias entidades mundialmente em maio, inclusive Portugal.

Leia a notícia completa aqui. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

Business Insider

Decreto anti-imigração de Trump entra em vigor

Uma segunda versão do decreto-lei que proíbe a entrada de cidadãos de vários países muçulmanos já está em vigor. A decisão foi tomada pelo Tribunal Supremo dos Estados Unidos que permitiu a entrada em vigor de uma versão parcial do decreto, revogando a decisão de tribunais de instâncias inferiores que tinham bloqueado a proibição. Este impedimento de entrada afeta algumas pessoas do Irão, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen durante 90 dias e quase todos os refugiados em 120 dias. Contudo, são várias as exceções abertas.

Leia a notícia completa aqui. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

The Wall Street Journal

Hackers russos terão discutido forma de roubar emails de Hillary Clinton

Os alegados hackers russos discutiram de que forma poderiam roubar os emails de Hillary Clinton a partir do seu servidor privado e transferi-los para um intermediário de Michael Flynn, o ex-conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos de Donald Trump que se demitiu depois de descobertas relações próximas com a Rússia. Neste momento decorre uma investigação do FBI para apurar o envolvimento da atual administração com a Rússia na altura das eleições presidenciais.

Leia a notícia completa aqui. (Conteúdo em inglês / Acesso pago)

Politico

Putin e Trump encontram-se pela primeira vez na próxima semana

Vai, finalmente, haver fotos de Putin e Trump lado a lado, já enquanto líderes da Rússia e dos Estados Unidos. É esperado que o encontro aconteça na cimeira anual do G20, em Hamburgo, Alemanha. Este será a primeira vez em que os dois vão estar juntos depois de mais um ano marcado por investigações relativas às ligações de Trump aos russos. Desde que Donald Trump assumiu a liderança da Casa Branca, os dois presidentes falaram por duas vezes ao telemóvel.

Leia a notícia completa aqui. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

Bloomberg

145 milhões de dólares, o salário de Tim Cook

O salário “real” de 8,75 milhões de dólares do presidente executivo da Apple pode enganar. Na realidade, segundo os cálculos da Bloomberg, o CEO da gigante tecnológica levou para casa 145 milhões de dólares. A maior parte do salário tem origem em prémios dados pela empresa a Tim Cook em 2011. Isto acontece porque as ações dadas em prémios são atribuídas com um desfasamento temporal de forma a incentivar os bons resultados da empresa. No total, em 2016, Cook recebeu 136 milhões de dólares de prémios atribuídos cinco anos antes.

Leia a notícia completa aqui. (Conteúdo em inglês / Acesso gratuito)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião