Bitcoin vai afundar… para depois chegar aos 4.000 dólares

A moeda virtual mais valiosa do mundo deverá dar uma queda de 25% antes de rumar a um novo recorde próximo dos 4.000 dólares, diz o Goldman Sachs. No primeiro semestre, a divisa somou 168%.

O Goldman Sachs acredita que a moeda virtual bitcoin ainda vai dar um trambolhão antes de disparar rumo a um novo recorde. Numa nota enviada aos clientes, e a que a Business Insider teve acesso, o banco refere que a divisa se encontra “na quarta onda corretiva” e que poderá cair até um patamar máximo de 1.857 dólares, menos 25% do que o valor atual.

O relatório mostra bem que é preciso estômago para aguentar a alta volatilidade das moedas virtuais. Além do mais, alguns analistas defendem que estas divisas são uma bolha que vai rebentar mais tarde ou mais cedo — no primeiro semestre de 2017, só a bitcoin valorizou uns extraordinários 168%. Outros defendem que tem muito que subir até lá.

No caso do Goldman Sachs, a instituição acredita que a moeda tem potencial para, após esta fase de correção, rumar a um novo recorde de 3.915 dólares. A bitcoin entrou em 2017 a valer cerca de 1.000 dólares e já chegou a atingir os 2.900 dólares cada moeda, um máximo histórico. A bitcoin está a cotar perto dos 2.592 dólares. Já o Ethereum, outra moeda virtual que tem vindo a ganhar popularidade, vale pouco mais de 281 dólares.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bitcoin vai afundar… para depois chegar aos 4.000 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião