Empresas confiantes: exportações vão crescer ainda mais

  • Margarida Peixoto
  • 11 Julho 2017

As empresas reviram em alta as suas expectativas de exportações para 2017. O crescimento face a 2016 será maior, tanto nas vendas para a União Europeia, como para países terceiros.

As empresas exportadoras de bens estão confiantes: as suas expectativas de vendas ao exterior para este ano são ainda mais elevadas, quando comparadas com a primeira projeção, realizada em novembro de 2016. Os dados foram revelados esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As perspetivas das empresas para a exportação de bens apontam para um crescimento nominal de 7,5%, mais 2,2 pontos percentuais do que a primeira projeção. O otimismo resulta tanto das expectativas de vendas para os países terceiros — para onde esperam vender mais 11,2% do que em 2016 — como para os países comunitários — para onde antecipam um aumento de 6,3%. Mesmo excluindo os combustíveis e lubrificantes das contas, as perspetivas de exportação melhoraram face a novembro e indicam agora um aumento de 6,2%.

Perspetivas melhoram

Fonte: INE

Segundo o boletim do INE, as maiores revisões em alta das perspetivas de exportações verificaram-se na venda de bens para o mercado extracomunitário. Destaca-se a venda de material de transporte e acessórios (onde se espera agora um aumento de 20,1%), de combustíveis e lubrificantes e de máquinas, outros bens de capital e seus acessórios (com a perspetiva de vender mais 17% do que em 2016).

Já no comércio para a União Europeia, o INE destaca também a subida esperada nas exportações de material de transporte e acessórios (de 7,6%), para além dos fornecimentos industriais (6,2%).

De acordo com os dados do comércio internacional publicados na segunda-feira pelo INE, as exportações de bens aceleraram em maio, para 15,4%, quando comparadas com o mesmo mês de 2016. Em abril tinham estado praticamente estagnadas.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas confiantes: exportações vão crescer ainda mais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião