BCP cai mais de 4% e faz K.O. ao PSI-20

O BCP lucrou 89,9 milhões de euros no primeiro semestre. Os resultados trimestrais foram positivos, mas a reação dos investidores foi negativa.

No último round da semana, o BCP BCP 1,31% fez K.O. ao PSI-20 PSI20 0,00% . Apesar de ter divulgado esta quinta-feira contas trimestrais positivas, o banco desvalorizou mais de 4% e arrastou a bolsa lisboeta para terreno negativo. Mas não foi o único: cotadas como a EDP, a Navigator e a REN também contribuíram para a queda, levando a praça portuguesa a acompanhar a tendência negativa dos índices europeus.

O banco liderado por Nuno Amado desvalorizou 4,27% para os 24,21 cêntimos por ação. Esta é a maior queda dos títulos do BCP desde 4 de abril, ou seja, há quase quatro meses. Esta quebra acontece apesar de o banco ter anunciado nesta quinta-feira que no primeiro semestre deste ano conseguiu passar de prejuízos para lucros. O banco liderado por Nuno Amado reportou nos primeiros seis meses do ano lucros de 89,9 milhões de euros.

O PSI-20 acabou assim por cair 1,49% para os 5.172,76 pontos. As únicas cotadas a sobreviver às quedas foram a Corticeira Amorim, a Galp Energia, a Ibersol, o Montepio e a Novabase.

A agravar a tendência fixada pelo BCP estiveram pesos da bolsa como a EDP EDP 0,32% e a REN RENE 0,00% . A elétrica nacional tombou 1,13% para os 2,97 euros por ação e a distribuidora de eletricidade e gás natural caiu 2,81% para os 2,70 euros por título. A Navigator também se destacou entre as descidas com uma desvalorização de 2,95% para os 3,62 euros.

Os principais índices bolsistas do Velho Continente fecharam no vermelho, pressionados por resultados aquém do esperado. O Stoxx 600 caiu mais de 1%. “A bolsa nacional foi contagiada pela forte aversão ao risco que marcou a sessão europeia”, afirmam os analistas do BPI no comentário de fecho, referindo que “este padrão acabou por ofuscar a reação dos investidores aos resultados que foram ontem [quinta-feira] publicados após o fecho”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP cai mais de 4% e faz K.O. ao PSI-20

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião