Sonae Indústria: Cada ação valia 1 cêntimo e agora vale mais de 2 euros. Não, não é engano

A operação de reverse stock split da Sonae Indústria entra em vigor esta segunda-feira. Cada nova ação da empresa equivale a 250 das antigas.

É acionista da Sonae Indústria e ficou surpreendido quando, esta segunda-feira, reparou que as ações da empresa que valiam pouco menos de um cêntimo, hoje valem mais de dois euros? Não estranhe, nem fique entusiasmado, porque não ficou rico. Esta diferença de valores é apenas o resultado da operação de “reverse stock split” da empresa que entrou em vigor nesta segunda-feira.

A Sonae Indústria arrancou a negociação em bolsa, nesta segunda-feira, com um preço de 2,135 euros, o que compara com os 0,89 cêntimos, a que as ações terminaram a sessão de sexta-feira. Esta diferença de valores é o resultado do reagrupamento de 250 ações numa única, uma operação que tinha sido anunciada a 13 de julho pela empresa, mas cuja intenção já era conhecida desde março deste ano. Com esta operação o número de ações fica reduzido, mas em compensação cada uma passou a valer mais.

Do ponto de vista do acionista, para além do valor das ações nada muda. Ou seja, o valor dos investimentos em carteira não sofreu nenhuma alteração. Quem tenha mil euros investidos em ações da Sonae Indústria, continua a ter mil euros investidos, apenas o número de ações é mais baixo. Após esta operação, a Sonae Indústria passou a ter um total de 45 milhões de ações em bolsa. O objetivo é aumentar o valor unitário das ações reduzindo a volatilidade dos títulos e permitindo assim uma maior estabilização das cotações. Desta forma a empresa sai do grupo das chamadas penny stocks e tenta evitae movimentos bruscos dos títulos.

Após um entusiasmo inicial em que as novas ações resultantes deste reverse stock split chegaram a disparar 5,46%, até aos 2,34 euros, o sentimento mudou. As ações da empresa liderada por Paulo Azevedo seguem a desvalorizar 1,75%, para os 2,18 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae Indústria: Cada ação valia 1 cêntimo e agora vale mais de 2 euros. Não, não é engano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião