Tempestade Harvey faz fechar maior refinaria de petróleo dos EUA

  • Lusa
  • 30 Agosto 2017

A Motiva, detida pela petrolífera Saudi Aramco, anunciou a suspensão das operações na sequência das inundações e estragos provocados pela tempestade tropical Harvey.

A maior refinaria petrolífera dos Estados Unidos, localizada na cidade de Port Arthur, no Texas, foi encerrada esta quarta-feira na sequência dos estragos provocados pela tempestade tropical Harvey naquele Estado norte-americano, divulgou a dona da refinaria. Num comunicado, a Motiva, de capital saudita, informou que a refinaria em Port Arthur, que produz 603.000 barris diários de petróleo, suspendeu os trabalhos a partir das 05:00 locais (11:00 em Lisboa) “em resposta às crescentes inundações” verificadas naquela zona.

A companhia petrolífera Motiva junta-se assim a outras refinarias da zona do Golfo do México que também foram obrigadas a suspender as suas operações por causa das inundações provocadas pela passagem da tempestade Harvey. Foi o caso da unidade petrolífera da ExxonMobil em Baytown, a segunda maior refinaria do país e que está fechada desde domingo. Esta refinaria, localizada perto de Houston (uma das zonas mais afetadas pela intempérie), processa 560.000 barris diários.

A tempestade tropical Harvey, que atingiu na sexta-feira à noite o Estado do Texas como um furação de categoria 4 (numa escala em que a categoria máxima é 5), deslocou-se entretanto para leste e já atingiu o Estado do Louisiana. No Texas, o fenómeno meteorológico provocou graves inundações que foram qualificadas pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como “épicas” e fez pelo menos 20 mortos e 17 mil deslocados.

A Motiva Enterprises, propriedade da petrolífera estatal saudita Saudi Aramco, informou ainda que a refinaria vai permanecer fechada até que desça o nível das águas em Port Arthur, localidade que está neste momento inundada. “A nossa prioridade continua a ser a segurança dos nossos trabalhadores e da nossa comunidade”, referiu o comunicado da companhia petrolífera.

A Motiva, que decidiu reduzir gradualmente a sua atividade desde a chegada do Harvey, já tinha anunciado na terça-feira que a sua capacidade operacional estava a rondar os 40%. Até ao momento, o número de refinarias encerradas por causa da tempestade Harvey já ultrapassa uma dezena, incluindo muitas refinarias de pequena dimensão.

Calcula-se que a capacidade de processamento sofreu uma redução de cerca de três milhões de barris diários, o que representa um quinto da capacidade total dos Estados Unidos. Apesar de ter evoluído para uma tempestade tropical, o Harvey foi o furação mais forte a chegar os Estados Unidos desde 2005, ano em que o Katrina atingiu Nova Orleães, e o maior a afetar o Estado do Texas desde 1961.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tempestade Harvey faz fechar maior refinaria de petróleo dos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião