Fim do IVA nas importações extra-UE economiza 200 milhões às empresas

  • ECO
  • 22 Setembro 2017

O número foi avançado pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. A medida permite que as empresas paguem o IVA quando colocam os bens finais ou transformados no mercado.

O fim do IVA alfandegário vai dar mais liquidez às empresas que dependem de importações exteriores à União Europeia. Segundo o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, a medida em vigor vai não só economizar 200 milhões de euros às empresas, mas também cortar os custos de contexto. Em declarações ao Jornal de Negócios esta quinta-feira, Mendonça Mendes refere que o efeito de curto prazo na execução orçamental será diluído.

O projeto-piloto avançou este mês e conta com a participação de 400 empresas que já deixaram de ser oneradas com o IVA no momento da importação, segundo o Executivo. Presente no Porto de Sines esta quinta-feira, António Mendonça Mendes estima que, quando a medida estiver em velocidade de cruzeiro — tal deve acontecer no início do próximo ano –, as empresas vão ‘poupar’ 200 milhões de euros ao deixarem de adiantar o valor do IVA ao Estado ou no que gastam em garantias.

Apesar de este valor ser, atualmente, reembolsado mais tarde, tal pode criar problemas de tesouraria nas empresas. Com as alterações executadas pelo Governo, as empresas vão pagar o IVA quando os produtos finais ou transformados estiveram no mercado. “Estamos a deixar 200 milhões de euros na economia e a criar condições para expandir a atividade dos nossos portos“, garantiu António Mendonça Mendes.

A medida terá um impacto orçamental de curto prazo nos cofres públicos, mas o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais não está preocupado. “O facto de as empresas terem de liquidar o IVA mensalmente ajuda [a atenuar este efeito]“, argumentou ao Jornal de Negócios. Mendonça Mendes referiu ainda que a medida terá um impacto positivo na economia, o que também compensará o efeito.

Para as empresas terem acesso a esta nova forma de pagar o imposto têm de liquidar todos os impostos que têm pendentes com o Fisco ou a Segurança Social. O fim do IVA alfandegário foi umas da medidas do Orçamento de Estado para 2017 mais bem recebida pelas empresas. São apontadas como vantagens deste novo regime o fim do desvio de tráfego portuário, mais oportunidades para as atividades conexas e o aumento das receitas aduaneiras.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fim do IVA nas importações extra-UE economiza 200 milhões às empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião