Haitong já entregou lista de administradores ao Banco de Portugal

  • ECO
  • 22 Setembro 2017

Ex-BESI quer que Ling Yong assuma a presidência não executiva. Para presidente executivo, a instituição financeira chinesa escolheu Hu Min, especialista em mercados financeiros.

O Haitong Bank, o antigo BESI, já entregou a lista completa dos administradores ao Banco de Portugal. Uma lista que conta com nomes como Maria João Ricou ou Lin Yong. Fica agora a faltar a aprovação do regulador bancário, que vai avaliar a adequação e a idoneidade dos nomes propostos pelo banco.

Segundo o Jornal Económico (acesso pago), nesta lista está incluído o nome de Ling Yong, que deve assumir a presidência não executiva do Haitong. Para presidente executivo, a instituição financeira chinesa escolheu Hu Min, especialista em mercados financeiros.

Maria João Ricou assumiu a presidência da mesa da assembleia-geral do Haitong Bank. A diretora-geral do escritório de advogados Cuatrecasas vem agora ocupar esse lugar deixado vazio por Daniel Proença de Carvalho. Já Sara de Almeida Azevedo Begonha vai assumir o cargo de secretária da mesa da assembleia-geral, substituindo José Miguel Alecrim Duarte.

Entre os administradores atuais, alguns devem manter-se no cargo, diz o jornal. Neste momento, o conselho tem em funções cinco administradores que já terminaram os mandatos no ano passado: Hiroki Miyazato (presidente), Mo Yiu Poon (CFO), Alan Fernandes, Christian Minzolini e Paulo Martins.

O Haitong tem estado a renovar a equipa. O banco tentou contratar Pedro Rebelo de Sousa para integrar o conselho de administração, mas não foi bem-sucedido. O advogado e sócio da SRS Advogados terá sido indicado para presidente da mesa da Assembleia Geral do Millennium bcp e esta proposta estará diretamente relacionada com a decisão de não integrar a administração.

No primeiro semestre do ano, o Haitong Bank agravou os prejuízos para 79,8 milhões de euros (face aos prejuízos de 20 milhões do período homólogo), depois de ter registado uma quebra de 45% no produto bancário dos 66 milhões de euros para os 36 milhões.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Haitong já entregou lista de administradores ao Banco de Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião