FC Porto com prejuízos de 35 milhões, passivo sobe 40 milhões

SAD portista voltou a fechar as contas em terreno muito negativo. Diz que cumpriu acordo com UEFA para o primeiro ano, depois de esforço de controlo de custos. Mas o passivo sobe 40 milhões.

O FC Porto voltou a fechar a época com resultados negativos pela segunda temporada consecutiva. Depois dos prejuízos históricos de 58 milhões de euros em 2015/2016, a SAD azul e branca obteve um resultado líquido negativo de 35 milhões de euros na época 2016/2017. Mesmo num contexto de esforço de redução dos custos.

Sob supervisão apertada da UEFA, os dragões precisavam de melhorar as suas contas para evitar penalizações da parte do organismo europeu. E conseguiram-no na medida em que conseguiu reduzir o os prejuízos: “A SAD cumpriu com o compromisso assumido com a UEFA para 2016/2017, no âmbito do Settlement Agreement, tendo atingido um deficit inferior ao definido como tolerância neste primeiro ano do acordo assinado em junho de 2017“, segundo o relatório e contas divulgado esta quinta-feira na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Estes resultados são explicados sobretudo em função de duas rubricas: receitas e despesas. A SAD nota que houve um esforço para controlar os custos: desceram ligeiramente dos 124,4 milhões para os 121,8 milhões, isto sem contabilizar gastos com transferências que foram praticamente zero. Do outro lado, os proveitos (também excluindo vendas de atletas) subiram dos 75 milhões para os 98 milhões.

Contas feitas, o resultado operacional (sem incluir negócios com jogadores) registou um défice de 22,8 milhões de euros, melhorando visivelmente face aos 50 milhões de perda na época anterior. Já depois de incluir as vendas de jogadores, como de André Silva por 40 milhões para o AC Milan, o resultado operacional ficou em -18,3 milhões de euros.

A SAD portista destaca que o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) está agora em terreno positivo: melhorou para os 22,8 milhões de euros face aos 8,7 milhões da época 2016/2017.

Face aos prejuízos de 35 milhões, o FC Porto anunciou que a SAD está agora com capitais próprios negativos em 9,1 milhões de euros, com a incorporação do resultado líquido negativo obtido no período”. Outros dois destaques: o passivo aumentou em quase 40 milhões para 387,6 milhões com a sociedade a justificar esta subida com o pagamento da última prestação do project finance para a construção do Estádio do Dragão; o ativo cresceu 3,4 milhões para os 378,4 milhões.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

FC Porto com prejuízos de 35 milhões, passivo sobe 40 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião